A fama inflou ego de Tite e fez com que perdesse a perspectiva como treinador

Resultado de imagem para tite derrotado

Tite deveria ter escalado os melhores, mas foi teimoso

Pedro do Coutto

Faltou ao treinador Tite na derrota para a Bélgica a perspectiva sobre o modo de atuar da Seleção brasileira e tal fenômeno, a meu ver, decorreu do excesso de publicidade a ele proporcionado pelos anúncios mil vezes repetidos nas emissoras de televisão. Foram anúncios em série principalmente do Banco Itau e da Sansung. Era como se ele tivesse o poder de abrir sozinho o caminho das vitórias. Deslumbrou-se e esqueceu que deveria armar a seleção de forma diferente com que ele acabou fazendo. Tite estava provavelmente deslumbrado com o espaço e a importância que se juntaram à sua figura e ao seu desempenho profissional.

Não foi o primeiro caso de deslumbramento que atingiu a seleção brasileira. O precedente ocorreu de forma quase semelhante com o técnico Felipe Scolari na Copa de 2014.

QUESTÃO DE EGO – O comando do futebol não deve ser envolvido com a imagem supervalorizada de qualquer treinador ou jogador. É uma questão de ego. Às vezes dá certo, outras não. Não contesto a legitimidade que tem origem na aceitação do uso da imagem desse ou daquele. Só estou frisando que, em alguns casos, o êxito sobe demais à cabeça e o protagonista sente-se acima do bem e do mal. Quase como se julgasse um ser infalível cuja vontade passaria ser incontestável.

A derrota para a Bélgica demonstrou erros na escalação do time brasileiro. O lateral Marcelo vinha de uma contusão, não estava, como ficou visto, com suas condições atléticas totais. Felipe Luis vinha de ótima atuação contra o México e a lógica indicava que fosse mantido na seleção. Marcelo durante a partida não atacou e muito menos defendeu. Não estava dando para ele correr sentindo-se bem nos 90 minutos.

DOUGLAS COSTA – Gabriel Jesus vinha de atuações ruins, dando a impressão de que sofria o peso da responsabilidade própria da camisa amarela. Deveria ter sido substituido logo no início. Douglas Costa entrou no segundo tempo passou seu entusiasmo para o ataque de nossa seleção. Ja havia ocorrido a mesma coisa na partida contra o México. O bom senso aconselhava que estivesse na equipe ao longo dos 90 minutos. Mas Tite escolheu o caminho oposto, e fez com que ele entrasse para substituir Willian. Na realidade Douglas Costa deveria ter substituído Gabriel Jesus e não Willian.

Mas tudo isso pertence ao passado recente. Entretanto, o deslumbramento com o próprio ego representa um risco para todos aqueles cuja imagem é lançada no campo comercial. Os treinadores e atletas destacados para transportar apelos de fim comercial devem, digo eu, fazerem como o personagem de Nelson Rodrigues e calçar as sandálias da humildade. Isso porque nada pior para os ídolos do que sua própria imagem no espelho.

###
E LULA CONTINUA PRESO…

O desembargador Thompson Flores, presidente do TRF-4, tribunal cuja 8ª Turma condenou Lula por unanimidade, anulou o despacho do desembargador Rogério Favreto e deu razão total ao juiz Sérgio Moro que se manifestara contra a libertação do ex-presidente.

A situação de Favreto tornou-se muito difícil no TRF-4. Talvez tenha que pedir aposentadoria, mas parece muito novo para isso.

18 thoughts on “A fama inflou ego de Tite e fez com que perdesse a perspectiva como treinador

  1. Tite escalou corretamente. Como em outras copas, vide 98, um apagão emocional desde os primeiros minutos selou a derrota. O Brasil perdeu mais uma vez, como em 50 e em 98, pra ele mesmo.

  2. Chamaram a geração do Zico de fracassada. Fracassada e com ego inflado pela imprensa esportiva, é esta turma de 2014 e 2018. O Tite é treinador de time não de seleção.

  3. O Brasil do Tite foi um blefe.
    Apesar dos comentaristas falarem, da torcida reclamar, Tite mostrou-se teimoso e manteve no banco alguns jogadores que poderiam fazer a diferença. Errou feio.

    O projeto tão anunciado fracassou diante do primeiro time de qualidade que enfrentou.
    Insistir com um atacante – Gabriel Jesus – que não faz gol !? … E o Galvão Bueno ainda saiu em sua defesa, quando as nossas lágrimas só começavam a rolar !?

    Que conversa enjoada, sem pé nem cabeça, justificar os erros do Tite pelos, somente, dois anos de trabalho para seu projeto.
    Técnico mais simples, menos espetaculoso, só precisa de uma semana para assumir um novo time e trabalhar com jogadores, alguns deles, que ele nunca os viu.
    O resto é muito mi mi mi.

  4. Seleção não pode ter amigos , amigos só em pelada..
    O Tite escalou os amiguinhos , por isso sentou no barro . ( essa expressão sentou no barro ) , era quando perdia a partida e tinha q esperar a próxima sentado no barranco .
    Seleção tem que levar os melhores e em condição física , o que não fez o Tite , se eu fosse escolher treinador para seleção do Brasil , escolheria o Abel Braga , com ele só entra os melhores .

  5. A verdade a gente vê aqui, na T.I.
    Grande parte da mídia está preocupada com banco X, operadora Y, refrigerante Z.
    Parabéns, C.N., por nos proporcionar este espaço.

    • V. Felipe Scolari de 2002 – campeão e de 2014 mais escorraçado que Judas.
      Afinal, o Brasil tem milhares de técnicos, cada um escalando melhor o time.

  6. No meu entendimento mais determinante do que a lambança do Tite como Scolari, sorte que a seleção era bem melhor. Mas, Fernandinho quase é protagonista de mais uma goleada por burrice deste Tite. Mas, o mais determinante foi a arbitragem tendenciosa desde o início da Copa contra o Brasil, difícil jogar contra a arbitragem. Foram três pênaltis. A FIFA tem o mesmo problema da CDB, corrupção saindo pelo ladrão.

  7. O Brasil perdeu porque a Bélgica é melhor, simples assim. Não admitir isso é semelhante a soberba do Tite. O primeiro tempo poderia ter terminado 4 x 0 tranquilamente, a pressão após o primeiro gol brasileiro foi apenas o último suspiro de um time que não tem o DNA de campeão, principalmente pela presença patética de Neymar que nada fez a não ser envergonhar ainda mais todos os brasileiros.

  8. As duas melhores seleções que o Brasil teve depois do tri, do grande time que tivemos, foram as de 82 e 86, treinadas por Telê santana.

    Aconteceu com elas o quê?!

    Perderam!!!!

    E perderam porque Telê foi TEIMOSO!

    Na verdade, quando um time ou seleção é treinada por um técnico, e ele é o mandachuva, o chefe, onde só ele é quem manda e desmanda, os resultados podem ser auspicioso como decepcionantes.

    Uma seleção deveria ser treinada por três técnicos, os melhores do país, que decidiriam em conjunto os melhores para ser convocados e para compor o time.

    No futebol americano, não o soccer, o futebol deles, cuja final arrecada mais do que uma Copa do Mundo, existem os técnicos da defesa e do ataque!

    Ora, o Brasil poderia inovar neste sentido, de ter três profissionais dirigindo a seleção, e evitar que uma pessoa seja culpada pelo fracasso de onze jogadores!

    Tite, Muricy e Abel Braga seriam os técnicos que eu elegeria para esta nova seleção para 2022.
    Caso Muricy ou Abel não possam, então eu colocaria Mano Menezes e Renato gaúcho!

    Se me perguntarem por que mais gaúchos, eu responderia:
    Então me citem técnicos melhores do que esses na praça brasileira hoje em dia!!!

    • Bendl

      As Verdadeiras Seleções de 82 86 perderam mas jogaram bola
      Tanto que vários ainda lembram e citam a de 82 como uma das melhores que já tivemos após 70
      O grande problema de hoje é que a mistura de corrupção, bandalheira, mutretas acabaram com a Seleção.
      Alias, dos Três ultimos Presidentes da Casa Bandida do Futebol um tá preso lá em New York, só volta de lá dentro de um caixão, o outro fugiu e se escondeu em algum Apartamente de Luxo no Rio e de lá não sai nem com reza brava, o outro está banido do futebol e também não pode sair do Páis.

  9. Como todo brasileiro já nasce técnico de futebol, vou me permitir dar o meu pitaco, mesmo não entendendo de Futebol.

    O Brasil se fez Campeão do Mundo em Futebol jogando um Futebol só visto aqui no Brasil e admirado no Mundo inteiro.
    E por muitos anos se falou em Escola Europeia – Futebol Força e Escola Brasileira – Futebol Arte.

    Após a Copa de 1970, as emissoras de tv e rádio “assumiram” o negócio futebol.

    E inventaram um Estilo de Futebol muito bom para os negócios – marketing e publicidade, mas que não tem funcionado dentro de campo.

    O Futebol Celebridade.

    Onde alguns eleitos são escalados pra gerarem a receita planejada e na medida do possível ganharem a Copa, desde que para isso não seja necessário prejudicar o Sistema Futebol Celebridade.

    Se ganhar ótimo.

    Mas se perder, a gente contorna.

    Isto ainda tem funcionado. Mas tem havido perdas de mobilização de torcedores a cada ano que passa e que ficam mais evidentes nos anos de Copa.

    Vejam que interessante. Temos os melhores jogadores do Mundo, mas não temos o melhor time do Mundo.

    A CBF é um negócio. E mais, um negócio privado.

    E como todo negócio, tem um dono. E este dono com certeza sabe o que é prioridade para a realização de resultados de seu negócio.
    Ou não?

  10. Empatite e assim como a grande maioria dos técnicos brasileiros foram picados pelo virús do Anti-Futebol, futebol, sem arte, futebol moleque que encantava o Páis e o Mundo
    Hoje jogam por uma bola, e olha lá, se não fizer o gol o empate tá bom demais

  11. Sr. Espetro
    Neysonegarmais virou chacota no Planeta inteiro.
    O técnico Rene Simões há alguns anos atrás disse assim

    Voces estão criando um Monstro…

  12. Tite um chato , será se ele deveria continuar na seleção , vai cometer os mesmos erros, sem preparo psicológico para este cargo. Fora Tite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *