Bolsonaro elogia prisão de Battisti e aproveita para chamar o governo do PT de corrupto

Imagem relacionada

Bolsonaro ficou contente com a nova prisão do italiano

Deu na Folha

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) parabenizou nas redes sociais os responsáveis pela prisão de Cesare Battisti. Ele também aproveitou a ocasião para lembrar que o terrorista italiano é “companheiro de ideias” do PT, ao chamar novamente de corrupto o governo do partido de Lula.

“Parabéns aos responsáveis pela captura do terrorista Cesare Battisti! Finalmente a justiça será feita ao assassino italiano e companheiro de ideiais de um dos governos mais corruptos que já existiram do mundo (PT)”, postou Bolsonaro.

ANOS DE CHUMBO – O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, também se manifestou nas redes sociais sobre a prisão do italiano Cesare Battisti.

“A Itália só teve ‘anos de chumbo’ porque antes teve anos de terrorismo. Bombas, autoridades sequestradas, assassinatos políticos e etc. Não dá para combater terrorismo como se fosse crime comum”, disse ele.

Já o embaixador da Itália, Antonio Bernardini, comemorou: “Battisti está preso! A democracia é mais forte que o terrorismo!!”

DIZ O MINISTRO – O ministro da Justiça da Itália, Alfonso Bonafede, publicou um texto no Facebook dizendo que finalmente a justiça foi feita. Afirmou que se acabou a longa fuga de Battisti e que seu pensamento está com os familiares das vítimas dele. O ministro afirmou ainda que Battisti será devolvido à Itália, onde terá de cumprir sua pena, acrescentando que o tempo que passou não aliviou as feridas que Battisti deixou nas famílias de suas vítimas e no povo italiano.

Ele agradeceu às autoridades italianas e brasileiras, à Interpol, à Inteligência italiana e todas as forças policiais pelo empenho, e também às autoridades bolivianas.

VOLTA À ITÁLIA – Já o presidente do Parlamento europeu, Antonio Tajani, que é italiano, disse que Battisti tem de ser conduzido o mais rápido possível para a Itália. Que o terrorista que se divertiu com vítimas, famílias e a Itália tem de estar preso.

O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Filipe Martins, também comentou a prisão em redes sociais: “O terrorista italiano Cesare Battisti foi preso na Bolívia esta noite e em breve será trazido para o Brasil, de onde provavelmente será levado até a Itália para que ele possa cumprir pena perpétua, de acordo com a decisão da Justiça italiana”, disse.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O assessor de Bolsonaro está animado demais. Na verdade, ninguém sabe se Battisti será trazido de volta ao Brasil ou extraditado direto para a Itália. O primeiro passo agora será o governo italiano pedir a extradição dele à Bolívia. (C.N.)

Queiroz é um tremendo cascateiro e grava novo vídeo para alegar que está “mal”

Fabricio Queiroz

No novo vídeo, Queiroz finge que ainda continua internado

Constança Rezende
Estadão

Em novo vídeo divulgado por sua família, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício de Queiroz, deitado em uma cama, diz que a gravação em que aparece dançando no hospital Albert Einstein aconteceu porque ele quis dar “cinco segundos de alegria a uma tristeza que se tomava dentro da enfermaria”.

Ele disse também estar revoltado com a circulação do vídeo e que estava apenas comemorando a virada do ano com a sua família. “Estão dizendo que nesse vídeo eu estava comemorando o não comparecimento meu ao Ministério Público. Isso é muita maldade”, afirmou.

CIRURGIA – Queiroz afirmou que está se recuperando de uma operação para a retirada de um câncer (feita, segundo ele, no dia 1º de janeiro) e que está no aguardo para passar por um tratamento médico. “Tão logo acabe tudo isso, eu estarei pronto para esclarecer qualquer dúvida ao Ministério Público”, afirmou. Ao Estado, Queiroz disse que o tratamento poderia levar de três a seis meses.

O vídeo, gravado por uma filha de Queiroz, viralizou neste sábado nas redes sociais. A defesa diz que as imagens foram feitas em ‘raro momento de descontração’. As imagens foram feitas na virada do ano, no dia 31 de dezembro, dentro do quarto do hospital, onde o ex-assessor estava internado. Queiroz afirmou que foi submetido no dia seguinte a uma cirurgia para a retirada de um câncer no intestino.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Queiroz é um tremendo cascateiro. Sua operação foi simples, o caso não é de maior gravidade. No novo vídeo, ele simula ainda estar internado, mas teve alta na última terça-feira, dia 8. Essas novas declarações, simulando estar muito mal, são uma grotesca armação, para tentar apagar o vídeo anterior da dança em famiglia. E ninguém responde à pergunta que não quer calar: Quem pagou a internação de Queiroz no Albert Einstein, um dos hospitais mais caros do país, e quem está pagando as férias da família em São Paulo, para evitar que todos prestem depoimento ao Ministério Público do Rio de Janeiro? É isso que o povo quer saber. (C.N.)

Preso na Bolívia, Battisti vai responder a outro processo de extradição para a Itália

O italiano Cesare Battisti preso na Bolívia na noite deste sábado Foto: Twitter: @poliziadistato

Policiais italianos ajudaram a capturar o terrorista foragido

Bela Megale
O Globo

O terrorista italiano Cesare Battisti , preso no fim de tarde de ontem em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, deve ser extraditado diretamente para a Itália, sem passar pelo Brasil. Autoridades brasileiras envolvidas nas buscas acreditam que ele deve ser deportado diretamente para a Itália já que as chances de ter entrado legalmente no país são muito pequenas.

Outra opção é que se abra um novo processo de extradição feito diretamente entre Roma a La Paz, sem a participação do Brasil. A maneira como a extradição de Battisti será feita, porém, ainda está sendo negociada entre Brasil, Bolívia e Itália.

SEM RESISTÊNCIA – Battisti usava uma barba falsa no momento em que foi detido e um documento expedido no Brasil com seu nome verdadeiro. Ele não ofereceu resistência, segundo informações.

A informação sobre a prisão de Battisti foram dadas pelo jornal italiano Corriere de la Sera. O italiano é considerado foragido desde 14 de dezembro quando sua extradição foi autorizada pelo então presidente Michel Temer.

DIZ A POLÍCIA – O perfil oficial da polícia italiana no Twitter postou, no início da manhã deste domingo, fotos de Battist já em posse das autoridades policiais na Bolívia.

“Equipe de policiais italianos com a polícia boliviana identificou e capturou Cesare Battisti. A atividade dos policiais antiterroristas italianos e do Serviço Internacional de Cooperação Policial é fundamental. Procurada, a defesa do italiano não respondeu nossos contatos.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Deve demorar a extradição de Battisti, se é que vai acontecer. Ele vai responder a processo e terá direito de defesa. E o todo-poderoso presidente eterno Evo Morales é que, no final, vai decidir a questão. Como se sabe, Morales é muito capaz. Aliás, é capaz de tudo… (C.N.)

Governo precisa colocar a Petrobras a serviço dos interesses nacionais, é isso que interessa

Imagem relacionada

Petrobras já é a petroleira com maior potencial de crescimento

Deu em O Tempo
(Estadão Conteúdo)

O governo Jair Bolsonaro decidiu intervir no Conselho de Administração da Petrobras, substituindo alguns dos atuais conselheiros por executivos com visão alinhada à nova equipe econômica. Os novos nomes já foram selecionados e serão anunciados nos próximos dias, apurou o jornal O Estado de S. Paulo. Com as trocas, o governo pretende adequar o colegiado às novas diretrizes delineadas para a petroleira.

Os nomes que serão apresentados pela União substituirão conselheiros com mandato vigente até 2020, mas que decidiram renunciar agora de seus cargos após serem avisados de que o governo gostaria de substituí-los.

OUTRA FORMAÇÃO – O novo presidente da estatal, Roberto Castello Branco, confirmou em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo a determinação da União de alterar a composição do colegiado. “O acionista controlador deseja mudar. A intenção é mudar o perfil do conselho para que tenhamos mais representantes com visão estratégica do que a Petrobras precisa”, afirmou. “Um novo ciclo se encerrou e iniciamos uma nova era”, disse.

Castello Branco refutou a ideia de que o governo vá promover uma tentativa de aparelhamento da estatal. Segundo ele, os novos integrantes terão perfil técnico. “São gestores experientes e acima de qualquer suspeita, cujos nomes serão anunciados ao mercado e submetidos à apreciação dos órgãos de governança da companhia”, afirmou.

CARGOS VAGOS – No momento, há dois assentos vagos, mas há expectativa de que mais um conselheiro apresente sua renúncia em breve. Eles tomaram a decisão de se afastar após pedido feito pelo próprio Castello Branco, que se colocou como “mensageiro” do controlador, de acordo com três fontes do colegiado ouvidas.

A União tem direito de indicar oito dos onze assentos no conselho de administração da Petrobras – outros três postos são destinados a representantes dos acionistas minoritários e dos empregados da estatal. Ao assumir a presidência, Castello Branco passou a ocupar um dos oito postos.

Ao assumir o comando da companhia, Castello Branco afirmou que, durante o governo Michel Temer, Pedro Parente e Ivan Monteiro atuaram para resgatar as finanças da empresa e que ele, agora, deseja transformá-la numa “campeã”. Isso incluirá focar na exploração do pré-sal e intensificar a venda de ativos, reduzindo drasticamente a participação em algumas áreas, como a de refino. Para essa tarefa, precisará de votos favoráveis no conselho.

EM SIGILO – Castello Branco não quis antecipar o nome dos executivos escolhidos para integrar o conselho. Segundo apurou a reportagem, a ideia do governo é anunciar já no início da semana que vem o nome de três novos integrantes, incluindo o novo presidente do conselho.

O movimento para alterar a composição do conselho de administração da Petrobras miraram conselheiros que nutriam ligação com a gestão petista.

Antes mesmo da posse oficial de Roberto Castelo Branco na presidência, foram apresentados os pedidos de renúncia de Luiz Nelson Guedes de Carvalho, que ocupava o cargo de presidente do conselho, e de Francisco Petros Papathanasiadis. Ambos o fizeram atendendo a um pedido do governo.

RENÚNCIA – A pressão para a renúncia passou a recair então sobre outros nomes, como Segen Estefen e Durval Soledade. A informação foi revelada pelo jornal Valor Econômico e confirmada por O Estado de S. Paulo. Há expectativa de que ao menos um deles apresente seu pedido de afastamento nos próximos dias. O comando da estatal não descarta convocar uma assembleia para afastá-los, mas a decisão não está tomada.

Carvalho e Petros compuseram o colegiado na gestão do ex-presidente Ademir Bendine, quando Castello Branco também fazia parte do conselho. Bendine acabou preso pela Lava Jato. Carvalho ascendeu à presidência do conselho da estatal ainda no governo Dilma.

Stefen é professor da Coppe/UFRJ e ligado a Luiz Pinguelli Rosa, ex-presidente da Eletrobrás no primeiro governo Lula. Ele foi eleito conselheiro da Petrobras durante o governo de Dilma Rousseff, em 2015.

OUTROS MEMBROS – Já Soledade ocupou cargos de confiança no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de 1973 a 2008. O executivo também foi diretor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) durante o governo Lula, mas entrou para o conselho da petroleira já no governo Michel Temer.

De acordo com uma fonte ligada ao colegiado, as conselheiras Ana Zembelli e Clarissa Lins, contratadas recentemente por meio de agência de recrutamento na Petrobras, devem permanecer em seus cargos.

Investidores e especialistas em governança corporativa receberam com naturalidade as mudanças no conselho de administração da Petrobras. Após a notícia, a cotação da petroleira na Bolsa quase não se alterou nesta sexta-feira. A queda ao fim do pregão foi de 1,07% das preferenciais e de 0,63% das ordinárias, refletindo o movimento do barril de petróleo no mercado internacional.

RODIZIO – A visão de especialistas de governança é que há uma cultura na empresa de mudar os cargos de liderança quando muda o governo. “É natural também que o conselho de administração seja modificado. Um rodízio é sempre importante”, avaliou o presidente da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais do Rio de Janeiro (Apimec-Rio), Helio Darwich. Ele argumenta que a mesma lógica é utilizada em multinacionais.

Para Erasmo Valladão Azevedo e Novaes e França, especialista em direito societário pela USP, a participação do presidente da companhia na substituição de parte do conselho pode sinalizar ingerência política na cúpula da petroleira. “O fato de o presidente pedir para um membro do conselho sair e para que nomes sejam indicados sinaliza uma interferência em um assunto que é da assembleia de acionistas”, afirmou.

A escolha do conselho é atribuição da assembleia. Em última análise, acaba sendo da União, que é o acionista controlador da estatal. “Sociedades de economia mista, como a Petrobras, são conflituosas. Elas convivem com o embate entre o atendimento dos interesses sociais e dos acionistas, que estão prioritariamente preocupados com o lucro e a distribuição de dividendos”, diz França.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O importante é fazer a Petrobras funcionar em função dos interesses nacionais. A empresa é considerada a petroleira com maior potencial de crescimento e isso precisa ser usado em benefício do país, reduzindo o preço dos combustíveis e aumentando os dividendos com base na produtividade e não na exploração do consumidor. A Petrobras pode ser um instrumento importantíssimo nas mãos do governo. Nas mãos da iniciativa privada, será apenas mais uma empresa como as outras, sem responsabilidade social, preocupada apenas com os lucros. Pensem nisso. (C.N.)

Processos contra Temer, que estavam parados, agora vão correr na primeira instância

Toffoli vai enviar os processo de Temer para primeira instância

José Carlos Werneck

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, decidiu que o ministro Luís Roberto Barroso é que deverá analisar, depois do recesso judiciário, o pedido de remeter para a primeira instância a denúncia da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, no processo contra Michel Temer referente ao episódio dos portos, bem como abrir cinco novos inquéritos contra o ex- presidente.

Realmente, o presidente do STF tomou a decisão acertada, já  que o ministro Luís Roberto Barroso é o relator do processo, no tribunal.

CORRUPÇÃO E LAVAGEM – Michel Temer foi denunciado por Raquel Dodge, no episódio do decreto dos portos, por corrupção e lavagem de dinheiro, em 19 de dezembro, quando o Supremo já estava entrando em recesso, e os pedidos da procuradora-geral, para que o ex-presidente responda em Primeira Instância e para instaurar cinco novas investigações, ficaram com Toffoli, que regimentalmente, como presidente, é o responsável pelo plantão judiciário, no tribunal.

Segundo a denúncia, o ex-presidente teria, por decreto, favorecido empresas do setor portuário.

Toffoli entendeu que não haver urgência que exija pronta decisão da presidência do STF no recesso e, desse modo, o tema será analisado pelo ministro relator Luís Roberto Barroso, findo o recesso.

FIM DO RECESSO – As outras duas denúncias e uma investigação contra Michel Temer, que estão com o ministro Luiz Edson Fachin, igualmente serão remetidas à Primeira Instância após o dia 20, quando o recesso do Judiciário terminar. Michel Temer não responde mais perante o STF, em virtude de ter perdido o foro privilegiado, por ter deixado a Presidência da República.

Temer foi denunciado por corrupção no episódio da mala contendo R$ 500 mil, recebida da JBS, por Rodrigo Rocha Loures e por ser supostamente líder de quadrilha do MDB que fraudava estatais, mas a Câmara barrou o prosseguimento dos dois processos no Supremo.

OUTRA PROPINA – O ex-presidente também é alvo de investigação, por suposto recebimento de propina da Odebrecht, mas, nesse caso, ainda não sofreu denúncia da procuradora-geral, que entendeu que ele não poderia ser acusado por ato cometido fora do cargo. E a decisão, assim, seria de alçada da Primeira Instância, quando terminasse o mandato.

O caso de recebimento de propina da Odebrecht, em que Raquel Dodge não ofereceu denúncia por serem crimes praticados antes de Temer se tornar presidente, também deverá seguir para um juiz de 1ª instância. Temer teria recebido parte de R$ 10 milhões acordados com a Odebrecht em um jantar no Palácio do Jaburu.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Temer é um homem acuado, que vive em estado permanente de tensão. Sabe que não terá como escapar das condenações, pois as provas contra ele são abundantes. Mas dificilmente irá para a cadeia, porque é um homem muito “doente”, tipo Paulo Maluf e Jorge Picciani, e sempre haverá um ministro no Supremo disposto a libertá-lo, assim que passar a usar fraldas geriátricas. Aliás, Maluf está tão bem de saúde que solicitou sua reintegração como deputado. Quer dizer, tem saúde para reassumir o cargo em Brasília, mas está doente demais para cumprir pena na Papuda… E la nave va, cada vez mais fellinianamente. (C.N.)

Um amor de outras vidas, na criatividade de Suely Costa e Abel Silva

Imagem relacionada

Abel Silva, um compositor de grandes sucessos

Paulo Peres
Site Poemas & Canções


O professor, jornalista, escritor e compositor Abel Ferreira da Silva, nascido em Cabo Frio (RJ), na letra de “A Voz e o Verso”, em parceria com Sueli Costa, utiliza hipérboles e metáforas para explicar os laços familiares que podem ter acontecido em outras vidas. A música faz parte do LP Simone, gravado, em 1989, pela Sony/CBS

A VOZ E O VERSO
Sueli Costa e Abel Silva

A tua boca é uma flor que canta
O teu sorriso é música e perfume
E cada verso meu na tua boca santa
Me deixam os lábios doidos de ciúme

Cantar, pra ti, é profissão e vida
Canções pra mim são sangue, luz e ar
Você cantando faz com que meu verso exista
E eu te ouvindo sou a emoção de amar

Não és espelho meu
Não sou teu outro eu
Não sei se em outras eras
Eu era irmão
E tu, irmã

Só sei que se assim fosse, então seriam
Incestuosas, tua voz
e minha poesia

Nomeações de apadrinhados inexperientes e golpes de marketing prejudicam o governo 

Resultado de imagem para ALECXANDRO CARRERO

Sem currículo, Carreiro foi nomeado de forma equivocada

Bruno Boghossian
Folha

O governo levou dez dias para perceber que o protegido político nomeado para o comando da Agência de Promoção de Exportações não tinha qualificação para a vaga. A indicação de Alex Carreiro e sua demissão atrapalhada são sintomas de um apagão gerencial.

Jair Bolsonaro e seus ministros fizeram estardalhaço para remover funcionários que consideravam incapazes de seguir o programa do novo presidente. Em vez de recorrer ao golpe de marketing da “despetização”, o governo deveria ter dedicado mais tempo a uma análise cuidadosa de suas próprias nomeações.

E O CURRÍCULO? – Ninguém deve ter lido o currículo de Carreiro antes de dar a ele a presidência da Apex. A maior qualificação do publicitário era a devoção a Bolsonaro nas redes sociais e o contato com alguns figurões de sua equipe durante a campanha.

Em poucos dias no comando da agência, ele foi fritado por colegas. Na quarta-feira (dia 9), o chanceler Ernesto Araújo declarou no Twitter que Carreiro havia pedido demissão. O problema é que o publicitário apareceu para dar expediente no dia seguinte.

Araújo confundiu a rede social com o Diário Oficial. Carreiro se amarrou à cadeira, disse que não havia pedido para deixar o cargo e afirmou que só sairia demitido pelo próprio Bolsonaro. O presidente deixou o chanceler na chuva por 24 horas até confirmar a troca na agência.

APAGÃO INICIAL – O improviso e o blá-blá-blá da politicagem enferrujam as engrenagens do novo governo. Nomeações de apadrinhados inexperientes e bravatas administrativas atrasam e paralisam até atividades burocráticas.

A Casa Civil chegou a ficar travada com o expurgo tolo promovido pelo ministro Onyx Lorenzoni. A situação é inusitada: servidores que pediram exoneração não conseguem ser demitidos porque não há funcionários administrativos para cuidar disso.

Assim que assumiu o poder, Bolsonaro anunciou uma revisão geral dos atos assinados nos últimos meses do governo Temer. Talvez seja mais importante fazer um pente-fino nas decisões dos últimos dez dias.

Hospital Albert Einstein decide processar o ator José de Abreu por difamação

Resultado de imagem para jose de abreu

Abreu acusou o hospital de complô para eleger Bolsonaro

Deu na Folha

O Hospital Israelita Albert Einstein anunciou que irá processar o ator da Globo José de Abreu, 72 anos, por conta de um tuíte no qual ele acusa a instituição de ter apoiado o atentado contra o então candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL).  “Teremos um governo repressor, cuja eleição foi decidida numa facada elaborada pelo Mossad, com apoio do hospital Albert Einstein, comprovada pela vinda do PM (primeiro-ministro) israelense, o fascista matador e corruptor Bibi. A união entre a igreja evangélica e o governo israelense vai dar m*”, dizia o tuíte em questão, publicado por Abreu no dia da posse de Bolsonaro como presidente do Brasil e apagado minutos depois.

Em nota, o hospital qualifica a acusação como “grave, insultuosa e infundada”, além de afirmar que tomará medidas judiciais contra Abreu, para “zelar por seu compromisso com a sociedade brasileira”.

Durante a corrida eleitoral, Abreu, que apoiou Haddad no segundo turno, chegou a se indispor com a colega de canal Regina Duarte, por seu apoio a Bolsonaro.

“Não respeito artista que apoia fascista”, afirmou na ocasião.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A direção do Hospital Albert Einstein deveria rever sua decisão. O ator retirou do ar a ofensa minutos depois de tê-la postado, praticamente ninguém leu, até porque José de Abreu não está com essa bola toda. Seu comportamento foi infantil e patético. Na verdade, ele não ofendeu ao hospital – o principal ofendido foi ele próprio, que demonstrou ser irresponsável e não ter medo do ridículo. Depois dessa bobajada, quem pode levar a sério alguma coisa dita por ele? (C.N.)

Há três cenários diferentes para as perspectivas do governo de Jair Bolsonaro

Resultado de imagem para bolsonaro charges

Charge do Paixão (Gazeta do Povo)

Merval Pereira
O Globo

Com citações da análise do historiador Jorge Caldeira e de um estudo do IPEA, além de sua experiência no campo da gestão pública, o economista Claudio Porto, fundador da consultoria Macroplan, especializada em planejamento e gestão, montou três cenários para o governo de Jair Bolsonaro que ora se inicia.

Para tanto, considerou o jogo de interesses de três grandes grupos de atores no país: os agentes econômicos, que demandam equilíbrio fiscal, crescimento sustentável e competitividade; as corporações, que reivindicam a manutenção de direitos especiais, privilégios e proteções; e a população, que hoje exige segurança, integridade, políticas e serviços públicos de qualidade e oportunidades de trabalho.

ENORME PASSIVO – Porto alerta que não é possível superar o enorme passivo de problemas e desafios estruturais do Brasil em apenas quatro anos. Lembra que, como desataca o historiador Jorge Caldeira, na década de 1970, Brasil e China adotaram estratégias opostas de crescimento econômico.

O Brasil “mirou a economia interna e … previu construir, ao mesmo tempo, tudo o que faltava para o país virar uma grande potência…  apostou no (mercado interno) e no Estado como o centro da economia …  Já a China, país milenarmente isolado, anunciou que se atiraria aos negócios globais”.

A história é conhecida: em dezembro passado, a China celebrou os 40 anos das reformas econômicas que transformaram o país na segunda maior economia do planeta, com uma extraordinária redução de pobreza.

ABAIXO DA MÉDIA – O Brasil desde os anos de 1980 cresce menos que a média mundial (Brasil 2,4% x mundo 2,9%).  A China criou um setor privado exuberante, que aproveitou as oportunidades da globalização. Citando Caldeira, Claudio Porto ressalta que as empresas globais chinesas compram empresas brasileiras em penca.

Agora, Porto vê o otimismo brasileiro ressurgindo, prenunciando que uma mudança disruptiva pode estar em curso no país. Os gargalos fiscais e financeiros destruíram as margens de manobra, e será necessário, segundo sua análise, ao menos o triplo deste tempo para construir uma saída para o crescimento sustentável.

Por isso, a Macroplan projeta três cenários para o país para o horizonte 2019-2030: (1) globalização econômica inclusiva; (2) crescimento com desigualdade; ou (3) pacto da mediocridade.

FAZER ESCOLHA – Este  jogo leva a um trilema que envolve um conflito distributivo:  o País terá de fazer uma escolha entre as três opções, das quais apenas duas podem ser conciliadas simultaneamente, pois, na visão de Porto, não há margem de manobra para acomodações no curto e médio prazos.

O melhor cenário antecipa uma mudança radical do Brasil: uma aposta firme e continuada na globalização econômica inclusiva. 40 anos depois da China, as principais forças políticas, econômicas e sociais brasileiras escolhem apostar na inserção global de nossa economia e conjugar o atendimento das demandas dos agentes econômicos competitivos com as da população em detrimento das corporações.

Nesse ambiente, o país empreende sucessivos ciclos de reformas macro e microeconômicas com uma abertura progressiva e expressiva da economia. Forte ajuste fiscal estrutural, redução e focalização do gasto público, desregulamentação, desestatização e parcerias público-privadas.

CAPITAL EXTERNO – Um ambiente de negócios previsível e seguro estimula a concorrência e atrai capital externo de qualidade. Estado compacto, com função empresarial reduzida e mais intenso como regulador e provedor de segurança nacional e jurídica. Além da segurança pública, a agenda social privilegia educação básica, proteção social aos mais vulneráveis, e política trabalhista que estimula o emprego.

Com essas medidas, a economia acelera o crescimento. Mas são previsíveis fortes resistências e pressões contrárias, especialmente nos anos iniciais. O rendimento médio de servidores públicos e aposentados sofre perdas significativas. E vários segmentos da indústria, comércio e serviços desaparecem ou são absorvidos por cadeias globais.

Do ponto de vista econômico, este cenário se aproxima do “cenário transformador” de Cavalcanti & Souza Júnior, publicado na Nota Técnica 41 do IPEA (4º trimestre de 2018), que estima taxas de crescimento médias do PIB e do PIB per capita de 4,0% e 3,4% ao ano, respectivamente.

(Amanhã, o perigo da mediocridade)  

Vídeo de Queiroz dançando com a filha no hospital viraliza na internet

Resultado de imagem para queiroz dançando no hospital

Queiroz, muito á vontade, no hospital da elite de São Paulo

Constança Rezende
Estadão

Um vídeo gravado por uma filha de Fabrício de Queiroz, em que o ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) aparece dançando no hospital Albert Einstein enquanto toma soro, viralizou nas redes sociais na manhã deste sábado, dia 12. O Estadão confirmou a autenticidade do vídeo com pessoas próximas a Queiroz. Não há informação sobre a data exata da filmagem.

Na gravação, o ex-assessor — que, segundo o Coaf, fez movimentações bancárias atípicas — aparece dançando, em meio a gargalhadas, quando a filha diz: “Agora é vídeo, pai! Pega teu amigo, pega teu amigo!”. Ele rodopia em seguida, fazendo um sinal de positivo com as mãos.

“UM DESASTRE” – Pessoas próximas a Queiroz avaliaram o vídeo como um desastre. O advogado de Queiroz, Paulo Klein, afirmou ao Estadão que só se pronunciará sobre o vídeo depois de falar com o ex-assessor. Procurado, Queiroz ainda não respondeu.

Ele faltou duas vezes a depoimentos marcados no Ministério Público alegando motivos de saúde. Antes de Paulo Klein assumir a sua defesa no caso, Queiroz havia faltado a outros dos depoimentos também, alegando que não havia tido acesso aos autos da investigação.

As filhas de Nathalia e Evelyn Melo de Queiroz, assim como o pai, ex-assessoras de Flávio Bolsonaro citadas no relatório, também faltaram a suas oitivas. Elas alegaram ao MP que precisavam ficar com o pai doente, que passou por uma cirurgia em São Paulo nesta semana.

DE MUDANÇA – Ao MP, a defesa da família afirmou que “todas se mudaram temporariamente para cidade de São Paulo, onde devem permanecer por tempo indeterminado e até o final do tratamento médico e quimioterápico necessários, uma vez que, como é cediço, seu estado de saúde demandará total apoio familiar”.

Na terça-feira, 8, Queiroz disse ao Estado que “estava muito a fim de esclarecer tudo isso”, “mas não contava com essa doença”. “Nunca imaginei que tinha câncer”, disse. Ele afirmou que dará as explicações apenas ao MP “por respeito” ao órgão, mas não informou a data. Queiroz também afirmou que está sendo tratado como “o pior bandido do mundo”. Ele culpou a exposição do caso Coaf pelos problemas de saúde detectados recentemente.

ATÉ NO PSIQUIATRA – “Após a exposição de minha família e minha, como eu fosse o pior bandido do mundo, fiquei muito mal de saúde e comecei a evacuar sangue. Fui até ao psiquiatra, pois vomitava muito e não conseguia dormir”, justificou.

O documento do Coaf apontou que Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e de 2017 e recebeu depósitos de assessores de Flávio Bolsonaro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A família (ou famiglia) de Queiroz está brincando com a verdade. A doença não é grave e ele não ficará eternamente em São Paulo. Logo terá de voltar ao Rio de Janeiro. A pergunta que não quer calar é a seguinte: “Quem está pagando o tratamento Albert Einstein e a mudança da família inteira para São Paulo?”. O povo quer saber quem está por trás de tudo isso. (C.N.)

Na guerra do Ceará, facções explodem torre de energia e concessionária de veículos

Resultado de imagem para explosoes no ceara

De madrugada, torre de transmissão foi explodida em Fortaleza

João Pedro Pitombo
Folha

Em mais uma madrugada de ataques no Ceará, criminosos derrubaram uma torre de transmissão de energia em Maracanaú, cidade da Grande Fortaleza. Os bandidos usaram explosivos para derrubar a torre de transmissão, que acabou tombando. Em nota, a Enel Distribuição Ceará confirmou o ataque e informou que enviou equipes ao local para inspecionar os danos.

A distribuidora ainda informou que o ataque não resultou em interrupção no fornecimento de energia para clientes da distribuidora. Contudo, uma rodovia teve que ser bloqueada temporariamente por causa do perigo gerado pelos fios de alta tensão. ​

ATAQUE A BOMBA – Na manhã deste sábado (12), os bandidos provocaram uma explosão em uma concessionária de automóveis em Fortaleza. O ataque aconteceu por volta das 5h da manhã e não deixou feridos.

Este é o 11º dia seguido de ataques registrado no Ceará. Ao todo, foram registradas 194 ocorrências provocadas pelos criminosos desde o início do ano.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará, um suspeito de ter atuado do ataque contra a concessionária de veículos foi preso em flagrante ainda na manhã deste sábado.

PRESO EM FLAGRANTE – Após perseguição policial, Danilo Barbosa de Assis, 22, que portava uma pistola, foi detido nas proximidades do estabelecimento comercial. Ele foi autuado em flagrante pelos crimes de dano, explosão, receptação, porte ilegal de arma de uso restrito e por integrar organização criminosa.

Nas imediações do Anel Viário, no bairro Ancuri, onde a torre foi derrubada, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar do Ceará e peritos da Perícia Forense do Estado do Ceará realizaram vistorias no local, após liberação do acesso pelos técnicos da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf).

Ainda de acordo com a SSPDS, equipes da Polícia Rodoviária Federal bloquearam a via e as forças de segurança buscam os outros suspeitos envolvidos na explosão e trabalham na identificação dos criminosos que provocaram a queda da torre.

DESLIGAMENTO – Em nota, o Ministério de Minas e Energia (MME) informa que recebeu do Operador Nacional de Sistema (ONS) o registro do desligamento automático da linha de transmissão que liga Fortaleza ao Porto de Pecém devido à queda da torre.

A perda da linha de transmissão, segundo o órgão, não causou interrupção no fornecimento de energia ou desligamento no abastecimento aos consumidores. “O registro informa também que, para preservar as condições de segurança elétrica da operação do sistema interligado, foi acionado o despacho momentâneo de geração térmica adicional”, disse o MME em nota.

A crise na segurança no Ceará começou na noite de 2 de janeiro. Ataques foram registrados no estado em decorrência de intenção do governo de não mais separar integrantes de facções nos presídios cearenses.

227 PRESOS – Até a última quinta-feira (10), o governo havia informado que 277 pessoas haviam sido presas por relação com os atentados no Ceará.

Na manhã deste sábado, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) defendeu em uma rede social que ações como incendiar e explodir bens públicos ou privados sejam tipificados como terrorismo, citando um projeto de lei do senador Lasier Martins (PSD-RS).

Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança, o Ceará foi, em 2017, o terceiro estado do país com mais mortes violentas. A taxa foi de 59,1 mortos a cada 100 mil habitantes. À frente do estado estiveram apenas Rio Grande do Norte (68) e Acre (63,9).

MENOS MORTES – Em 2018, segundo dados divulgados pelo estado, houve queda de 10,5% na taxa de homicídios entre janeiro e novembro de 2018, comparado com 2017.

Mesmo assim, no ano passado ocorreu a maior chacina da história do Ceará, com 14 mortos durante uma festa na periferia de Fortaleza, em janeiro, e a morte de seis reféns após ação policial para evitar assalto a dois bancos em Milagres, no interior, em dezembro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como se vê, trata-se de uma guerra civil não declarada. O presidente Bolsonaro tem toda razão em defender a tese do novo governador do Rio, Wilson Witzel, de que ações como portar armas privativas, incendiar e explodir bens públicos ou privados sejam tipificadas como terrorismo, conforme já consta de um projeto de lei do senador Lasier Martins (PSD-RS), que precisa ser logo aprovado. Os criminosos precisam aprender que guerra é guerra. (C.N.)

Planalto fará publicidade para explicar que “posse” não significa “porte” de  armas

Imagem relacionada

Charge do newton Silva (newtonsilva.com)

Jussara Soares
O Globo

Antes mesmo da publicação do decreto que vai flexibilizar o Estatuto do Desarmamento, o governo Jair Bolsonaro já prepara uma campanha publicitária para explicar à população as novas regras para obter a posse de armas no Brasil. O Planalto quer evitar que o ato do presidente seja entendido por parte da população como um “risco de aumento da violência”.

A estratégia de comunicação usará televisão, rádio, mídia impressa e outdoor, mas vai priorizar as redes sociais. A campanha já foi encomendada pela Secretaria de Comunicação a cinco agências de publicidade que prestam serviço ao Planalto.

UTILIDADE PÚBLICA – De acordo com informações do Planalto, a ideia é que a campanha tenha o tom de utilidade pública para explicar detalhes do decreto, previsto para ser assinado por Bolsonaro no início da próxima semana.

Para o governo, é fundamental que o ato do presidente não leve “medo à população” ou seja atrelado à possibilidade de aumento de violência. Para isso, a estratégia de comunicação vai reforçar o discurso de Bolsonaro ao longo de toda a campanha que a arma é “apenas uma segurança pessoal”.

Outro pedido da Secretaria de Comunicação é que as peças publicitárias diferenciem a posse, o direito da pessoa ter a arma em casa, do porte, que permite que o cidadão ande armado. Além de especificar os direitos e os deveres daqueles que obtiverem o porte.

ATÉ DUAS ARMAS – O decreto, que ainda passa por ajuste finais, prevê a permissão para que uma pessoa tenha até duas armas. De acordo com as novas regras, para ter uma arma será preciso apenas uma declaração de próprio punho de que a pessoa tenha efetiva necessidade do equipamento.

As empresas Artplan, Calia Propaganda e NBS Propaganda que vão apresentar propostas para as campanhas tradicionais, com comerciais para emissoras de rádio, TV, impressos e em cartazes afixados em espaços publicitários na vias urbanas. Já as agências Isobar e TV1 foram solicitadas para elaborar a campanha para as mídias digitais. As melhores propostas serão contratadas pelo governo.

A previsão, segundo integrantes do governo, é que o decreto seja assinado por Bolsonaro na segunda ou terça-feira, em uma cerimônia do Planalto. A flexibilização da posse de armas foi umas principais promessas de campanha.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Conforme o jurista Jorge Béja já explicou aqui na TI, é conveniente que o governo baixe uma Medida Provisória e não somente um Decreto, que pode ser contestado na Justiça, por se tratar de ato que não pode modificar determinação expressa em lei. (C.N.)

Se não delatar Temer, o ex-assessor Loures vai ser condenado a muitos anos de cadeia

Resultado de imagem para loures com a mala

Loures devolveu o dinheiro e se tornou “réu confesso”

Deu em O Tempo
(Estadão Conteúdo)

Em alegações finais, o Ministério Público Federal em Brasília pediu a condenação do ex-assessor da Presidência da República Rodrigo da Rocha Loures no processo em que é acusado de receber uma mala de R$ 500 mil de delatores da JBS supostamente para o ex-presidente Michel Temer (MDB). Em 28 páginas, o procurador Carlos Henrique Martins Lima pede que ele seja sentenciado pelo crime de corrupção passiva.

Em abril de 2017, Rocha Loures foi filmado em ação controlada da Polícia Federal recebendo uma mala de R$ 500 mil do executivo Ricardo Saud. Ele foi um dos alvos da Operação Patmos, deflagrada em maio daquele ano.

LOURES E TEMER – O ex-assessor foi denunciado, ao lado do de Michel Temer, pela suposta propina. No entanto, para o ex-presidente, a abertura de ação foi barrada em votação na Câmara Federal. Como não tinha mais foro privilegiado, Rocha Loures passou a se defender do processo na 10ª Vara Federal de Brasília.

De acordo com o procurador, “restou demonstrando que o réu Rodrigo Santos da Rocha Loures agiu com vontade livre e consciente e recebeu vantagem indevida para Michel Elias Temer, em virtude da condição deste de chefe do Poder Executivo, materializado no valor de R$ 500.000,00, além da promessa de prestações semanais”.

“A explicação do réu de que fora à pizzaria Camelo determinado a por termo às tratativas com Ricardo Saud e Joesley Batista é desconstruída pelo fato de que, após o dia 28/04/2017, prosseguiu trocando mensagens com o empresário, confirmando o teor das tratativas de que o pagamento indevido continuaria ocorrendo de modo permanente, reiterado e habitual e, ainda, que Rodrigo Loures falava em nome de Michel Temer”, sustenta.

HOMEM DE CONFIANÇA – Rocha Loures foi denunciado por supostamente agir em nome de Temer e na condição de “homem de confiança” do presidente para interceder junto à diretoria do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) – órgão antitruste do governo federal – em benefício da JBS.

Delatores da JBS dizem que foi prometida uma “aposentadoria” de R$ 500 mil semanais durante 20 anos ao peemedebista e ao presidente Temer.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A defesa de Loures está muito mal conduzida ou visa a proteger Temer. Não há possibilidade de evitar a condenação. Loures não somente foi filmado, como também devolveu a mala de dinheiro e depositou em banco os R$ 35 mil que havia retirado. Poderia ter ficado com o dinheiro e alegado que a mala continha documentos e livros, algo assim. Como devolveu o dinheiro, tecnicamente virou réu confesso. Se não fizer delação e entregar Temer, vai para a cadeia, sem a menor dúvida. A família pede que Loures faça delação, mas ele continua relutando. (C.N.)

Justiça bloqueia bens de Cabral, Pezão, Picciani e mais três deputados do Rio

Resultado de imagem para picciani solto

Picciani continua solto somente porque usa fraldas geriátricas

Deu na Agência Brasil

A juíza Roseli Nalin, da 15ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, determinou o bloqueio e indisponibilidade de bens de seis políticos, entre os quais os ex-governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão e o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Jorge Picciani por suspeita de improbidade administrativa.

A decisão partiu de um pedido do Ministério Público estadual, que tinha ajuizado em dezembro uma ação civil pública contra dez envolvidos em irregularidades em doações de campanha do então governador Luiz Fernando Pezão, do ex-governador Sérgio Cabral e de deputados estaduais em troca da concessão de benefícios fiscais e financeiros, que teriam financiado o grupo político.

TROCA DE PROPINA – Na decisão, a juíza Roseli Nalin escreveu que “através da utilização indevida da máquina estatal os réus beneficiaram ao arrepio da lei, diversas sociedades empresariais com incentivos fiscais e financeiros em troca de propina, sendo que parte desses recursos ilícitos foi utilizada em proveito dos réus, para financiar a campanha majoritária do MDB ao governo do estado (chapa Pezão/Dornelles), bem como do então candidato a deputado federal Marco Antônio Cabral, pelo mesmo partido”, disse.

A magistrada disse na decisão que houve financiamento ilícito de campanha do então deputado estadual Chistino Áureo, por meio do diretório nacional do PSD e pagamentos indevidos ao PDT, todos relativos às eleições de 2014. “Os fatos praticados constituem improbidade administrativa, tendo causado dano ao erário e enriquecimento ilícito do grupo, formando ciclo vicioso que em última seara, visou à perpetuação dos mesmos no poder político do Estado”, escreveu a juíza Roseli Nalin.

BLOQUEIO DAS CONTAS – Nas contas bancárias, Pezão teve bloqueados R$ 31 milhões; Sérgio Cabral Filho, R$ 33 milhões; Jorge Picciani , R$ 40 milhões; Hudson Braga, R$ 31 milhões; Christino Áureo da Silva, R$ 12 milhões e o deputado federal Marco Antônio Cabral, R$ 12 milhões.

A Justiça determinou também o bloqueio de R$ 37 milhões do MDB, R$ 900 mil do PDT e R$ 25 mil do PSD.

Reforma da Previdência demonstra que o Brasil é o pais mais injusto do mundo

Resultado de imagem para aposentadoria de militar charges

Charge do Nani (nanihumor.com)

Francisco Bendl

Certamente o único no mundo onde o povo admite ser rebaixado, humilhado e desprezado. Aceita pacificamente que existam privilégios para quem não precisa, e admite resignadamente que seja submetido a maus tratos, desprezo e indiferença pelas autoridades, mesmo pagando salários milionários e concedendo benefícios, mordomias, regalias e penduricalhos os mais exóticos e variados para essas categorias.

Ora, evidentemente que tais concessões populares não só são bem aceitas quanto permitem que mais privilégios sejam requeridos, além de concordar que certos tipos de profissionais sejam intocáveis, como se os seus membros não fossem seres humanos, mas anjos caídos do céu!

OPÇÃO PESSOAL– Claro que me refiro aos militares. Se alegam colocar as suas vidas em risco pela Pátria, a escolha foi pessoal, a opção foi daquele que se achou com vocação para usar farda e servir ao país.

Hoje, com esta crise sem precedentes, a procura pelo serviço público é pela segurança, salários em dia, reajustes, assistência médica e odontológica, aposentadoria especial (refiro-me ao serviço público federal). Deixou-se de lado a vocação e o talento, para se conseguir viver com mais tranquilidade, mesmo sendo um profissional medíocre.

Pois diante dessa clausura dos militares das FFAA, que desde o fim da ditadura se isolaram do país, percebe-se nitidamente o quanto os comandantes das Três Armas perderam em conhecimento, em cultura, com na dificuldade de se expressar, de se comunicar, e sem visão do interesse público sobre os acontecimentos nacionais e internacionais.

ABRIR OS QUARTÉIS – Justamente quando as FFAA deveriam abrir os quartéis para que suas salas fechadas durante a metade do dia fossem usadas como escolas ou ambulatórios médicos, por exemplo, o Exército se retrancou, se fechou em copas, deixando o povo ao Deus dará, que se virasse!

E continua cada vez mais querendo que esta diferença abismal de tratamento aumente, requerendo mais privilégios, salários melhores, aposentadorias intocáveis, e nenhuma, absolutamente nenhuma preocupação com a situação dramática do povo, com as Forças Armadas se comportando como Executivo, Legislativo e Judiciário!

Hoje, o problema brasileiro atual, que move céus e terras, diz respeito à Previdência Social. Os proventos nababescos e toda a cauda enorme que arrasta em benefício aos membros dos Três Poderes ocasionam, na proporção inversa, a miséria e a pobreza de sua excelência, o cidadão brasileiro.

ÀS CUSTAS DO POVO – Classificado de segunda e terceira classes, o povo tem obrigação de arcar com as despesas concernentes ao modo de vida milionário das castas atuais!

Não vai dar certo, e esta discriminação já aponta no horizonte em forma de violência incontrolável, que sequer o Exército dá conta, e cito os exemplos do Rio de Janeiro e Ceará!!!

Quanto mais pobre e miserável o povo for condenado, para que os militares, parlamentares e magistrados ganhem mais ainda, a violência aumentará, a revolta crescerá, pois se é injusto e criminoso aniquilar com a vida de uma pessoa honesta e trabalhadora por ladrões e traficantes, muito mais grave é o governo matando a sua população através da negligência, e somente se preocupando com os poderosos ou aqueles muito bem representados junto aos poderes instituídos.

SILÊNCIO OBSEQUIOSO – Não aguento mais esta discussão sobre a Previdência, e este silêncio obsequioso com relação aos nababos brasileiros. Ao povo, aumento no tempo para a aposentadoria e valores salariais menores ainda; Para militares, parlamentares, magistrados, 25 anos de “trabalho”, e salários mantidos iguais enquanto na ativa.

Não tem mais graça ser brasileiro, a menos que as pessoas gostem de sofrer, sejam masoquistas, que enaltecem o sadismo, a crueldade, a bestialidade contra si próprio.

Na França, as revoltas populares são todo sábado; no Brasil, quem se revolta são as facções criminosas, que insistem em desfrutem de uma parte desses podres poderes. É preciso formar uma “coluna” internacional em busca de justiça, para atazanar a vida dos potentados, que vivem impunemente as delícias dos extremos, à custa do povo.

Flávio Bolsonaro imita Queiroz e não depõe, mas se defende em entrevista ao SBT

Resultado de imagem para flavio bolsonaro no sbt

Flávio alega que nada tem a ver com as contas de Queiroz

Deu no Correio Braziliense
(Agência Estado)

Em entrevista ao SBT, divulgada na noite dessa quinta-feira (10/1), O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL), senador eleito pelo Rio, negou ter conhecimento das movimentações financeiras do seu ex-assessor Fabrício Queiroz. “Não tenho nada a ver com isso. Não tenho como controlar o que os assessores fazem fora do gabinete”, afirmou.

Flávio não compareceu nesta quinta-feira ao depoimento marcado pelo Ministério Público fluminense para falar das movimentações financeiras consideradas atípicas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) em uma conta de Queiroz. Em seu perfil no Facebook, o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (PSL) justificou sua ausência afirmando que não é investigado e ainda não teve acesso aos autos do procedimento aberto pelo MP.

SOMA DE SALÁRIOS – O senador eleito disse no SBT que a soma de salários de Queiroz e de familiares dele já chegaria a “quase” o valor. “Se você pega o salário dele no meu gabinete, mais o que ele recebe na Polícia Militar e mais o dos seus familiares, que depositavam dinheiro na conta dele, conforme ele próprio já declarou em alguma entrevista, dá quase esse valor”, afirmou Flávio, ressalvando que não estava fazendo uma defesa do ex-assessor.

Ao SBT, Flávio disse que pretende depor ao MP para “sepultar qualquer dúvida sobre minha pessoa”, mas não afirmou quando isso seria. O senador eleito afirmou ainda achar que “há direcionamento nas investigações” para atingi-lo e ao governo de seu pai.

Como parlamentar, Flávio tem a prerrogativa de marcar dia, hora e local para depor. A Procuradoria informou por nota que o deputado estadual, valendo-se de sua prerrogativa parlamentar, “esclareceu ao MP que informará local e data para prestar os devidos esclarecimentos que porventura forem necessários”.

INTEIRO TEOR – No texto divulgado à tarde no Facebook, o senador eleito disse que pediu uma cópia do procedimento investigatório aberto pelo MP fluminense “para que eu tome ciência de seu inteiro teor.” Ele argumentou que só foi notificado do convite na segunda-feira passada, à tarde.

O MP, porém, havia divulgado em 21 de dezembro nota sobre o convite a Flávio para depor nesta quinta-feira. Até a véspera, o deputado se recusava a dizer se iria ou não ao MP. “Reafirmo que não posso ser responsabilizado por atos de terceiros, como parte da grande mídia tenta, a todo custo, induzir a opinião pública”, disse ele na nota.

Queiroz e seus familiares (mulher e duas filhas, que fizeram depósitos na conta do ex-assessor) também não atenderam a convites anteriores do MP. O ex-assessor alegou estar em tratamento de um câncer. A mulher, Marcia Aguiar, e as filhas Nathalia e Evelyn de Melo Queiroz, também ex-assessoras de Flávio, informaram, por meio de advogado, estar cuidando de Queiroz, e, por isso não foram depor.

SEM ESCLARECER – Com a recusa de Flávio, 34 dias após a revelação, pelo jornal O Estado de S. Paulo, do relatório do Coaf que apontou as movimentações atípicas, o MP do Rio ainda não conseguiu ouvir nenhum dos citados ligados a ele. Quando Flávio assumir a cadeira no Senado, o caso deverá seguir para a primeira instância.

O Coaf detectou que Queiroz recebeu depósitos de colegas do gabinete de Flávio, mais da metade até três dias úteis após o pagamento dos salários na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O órgão considera que a renda do ex-assessor, então de R$ 23 mil mensais, é incompatível com o dinheiro que passou por sua conta de janeiro de 2016 a janeiro de 2017: R$ 1,2 milhão. Queiroz alegou, em entrevista ao SBT, que ganhou dinheiro vendendo carros usados.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Bolsonaro diz estar com dificuldades para nomear um porta-voz, mas a solução é simples. Basta nomear Silvio Santos, aquele que vendeu para Lula (leia-se: Caixa Econômica Federal) metade do Banco PanAmericano, que estava falido. Não há melhor porta-voz do que Silvio Santos, que desde o regime militar só divulga notícias favoráveis a quem está no governo. E ainda chamam isso de “jornalismo”. (C.N.)

‘A burocracia do PT perdeu o rumo’, diz Ciro sobre Gleisi Hoffmann prestigiar Maduro

Resultado de imagem para ciro gomes no rio

Ciro Gomes diz que Bolsonaro está perdendo “capital político”

Marco Grillo
O Globo

O ex-ministro Ciro Gomes, candidato derrotado do PDT à Presidência no ano passado, criticou nesta sexta-feira a ida da presidente do PT , Gleisi Hoffmann, à posse do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Segundo ele, os dirigentes petistas estão “sem rumo”.

Ciro está em rota de colisão com o PT desde a campanha eleitoral. O choque aumentou após PT retirar a candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco, inviabilizando o apoio do PSB ao PDT no plano nacional, que estava bem encaminhado à época. Ciro veio ao Rio nesta sexta-feira para participar de uma reunião do Diretório Nacional do PDT, na sede da legenda, no Centro.

SEM RUMO — “O PT perdeu o norte. A burocracia do PT perdeu o rumo. Está que nem cachorro que cai do caminhão de mudança. E a dona Gleisi agrava isso. A grande questão é: por que não comparecer à posse do Jair Bolsonaro, eleito dentro das regras, reconhecido internacionalmente, e depois ir para a posse do Maduro, que a esmagadora maioria dos estados da OEA não reconhece legitimidade ao regime. Há muita gente dizendo que ela é uma infiltrada do Bolsonaro para destruir o que resta da decência e da respeitabilidade do pensamento progressista brasileiro” — ironizou Ciro, citando uma publicação do site “Sensacionalista”.

A oposição e observadores internacionais denunciaram fraudes no processo eleitoral que levou à reeleição de Maduro, cujo novo mandato não foi reconhecido pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

MESA DA CÂMARA – Ciro indicou ainda que o PDT ficou mais distante de apoiar a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara depois da adesão do PSL. O pedetista afirmou que a legenda deve andar em conjunto com PSB e PCdoB e tentar atrair outras siglas que tentam construir uma candidatura competitiva contra Maia, como o PP.

“Vamos apelar para que a bancada pense na unidade desse bloco que formamos com PSB e PCdoB, o que exige que a gente caminhe com muita delicadeza. Especialmente porque ontem o PSB denunciou a contradição do Rodrigo Maia, que se acertou com a bancada do PSL sem conversar conosco, com quem ele já vem tratando há bastante tempo” — disse Ciro, acrescentando que o PP também pode ser atraído. “Pode sim. O PP quis me apoiar na eleição, e é possível que a gente use essa contradição que está acontecendo na Câmara para potencializar nossa força”.

BOLSONARO – O ex-ministro também demonstrou pouco entusiasmo com as chances de sucesso do governo Bolsonaro:

“Eu quero muito que ele acerte a mão, mas do jeito que vai, o capital político vai se dissipar muito antes do que eu supunha. O problema é muito grave, e o Bolsonaro não compreende. A equipe dele é de fraca para deplorável e loteou o governo entre três forças inconciliáveis: (Sérgio) Moro, Paulo Guedes e Onyx (Lorenzoni). Isso aqui não dá liga, e fora o núcleo militar, que já está cobrando a fatura.

Uma toada bem brasileira, na criatividade de Ivor Lancellotti e Paulo César Pinheiro

Imagem relacionada

Pinheiro focalizou bem a vida no interior de Minas Gerais

Paulo Peres
Site Poemas & Canções

A poesia de “Toada Brasileira”, musicada por Ivor Lancellotti é, sem dúvida, uma das melhores obras do genial poeta Paulo César Pinheiro.

TOADA BRASILEIRA
Ivor Lancellotti e Paulo César Pinheiro

Eu fiz com meu trabalho a vida inteira
Uma casinha branca no sertão
De frente prum caminho de palmeira
Do lado de nascente e ribeirão
De dia o galo canta na porteira
E a passarada vem comer na mão
E à sombra de uma jabuticabeira
Passo a manhã cantando uma canção

No almoço uma caninha costumeira
Vem do fogão de lenha um cheiro bom
Eu como uma comidinha mineira
Pra cochilar sob o caramanchão
No fim da tarde um banho na ribeira
Deitar na rede e olhar pra essa amplidão
A estrela Dalva é a estrela primeira
E o canto da cigarra é a saudação

De noite vem o perfume da roseira
E a lua tece rendas no portão
Eu tenho a paz com a minha companheira
Mas muita mágoa no meu coração
Por que não ser assim com a Terra inteira?
Por que uns conseguem e outros não?
E eu canto uma toada brasileira
Pedindo um mundo assim pros meus irmãos