Direção do INSS atestou “serviços” e liberou R$ 4,6 milhões à empresa-fantasma

Resultado de imagem para empresa em deposito de bebidas + inss

Na sede da empresa, só havia um depósito de bebidas

Patrik Camporez e Robson Bonin
O Globo

Depois de o Ministério do Desenvolvimento Social ter anunciado a demissão do presidente do INSS, Francisco Lopes, O Globo obteve novos documentos que revelam a atuação de outros dois servidores do órgão no processo que resultou no contrato do INSS com a RSX Informática no valor de R$ 8,8 milhões.

O negócio com a empresa foi formalizado em contrato assinado no dia 13 de abril. Dez dias depois, o diretor de Atendimento do INSS, Ilton Fernandes, e o gestor nomeado do contrato com a RSX, Ornon Vasconcelos, assinaram um documento no qual atestaram o suposto recebimento de quatro licenças de software da RSX e liberaram o pagamento de R$ 4,6 milhões à empresa. Técnicos do INSS, no entanto, confirmaram ontem que o documento foi redigido e o dinheiro liberado sem que nenhum produto tivesse sido entregue ao órgão.

ÁREA TÉCNICA – Como a reportagem revelou na terça-feira, quando verificou o volume de recursos envolvidos no negócio e o tipo do programa de computador que seria comprado, a área técnica do INSS alertou o presidente para a falta de amparo técnico ao negócio, a possível inutilidade da compra para o órgão e o risco de desperdício de dinheiro público.

— O sistema foi adquirido sem prova de conceito, ou seja, sem mostrar tecnicamente qual ganho, de fato, o programa traria para o INSS. Qual vantagem da compra para o instituto que justifique o gasto de R$ 8 milhões? — diz um servidor do INSS sob a condição do anonimato.

Alertado duas vezes para os problemas, o ex-presidente resolveu agir. Não como os técnicos esperavam. Em vez de ampliar os estudos técnicos e interromper o processo de contratação da RSX, Francisco, segundo técnicos do INSS, teria retirado poderes dos órgãos encarregados de avalizar a contratação e determinado pessoalmente, com a ajuda de um servidor de sua confiança, a assinatura do contrato.

TUDO ARMADO – Braço-direito de Lopes, o diretor de Atendimento do órgão, Ilton Fernandes, o mesmo que assinou a liberação do dinheiro à empresa, assinou memorando em fevereiro conferindo poderes a si próprio para deliberar sobre a “aquisição de solução de segurança integrada”, o produto que viria a ser comprado da RSX Informática dois meses depois. Segundo assessores da área técnica do INSS, o ato de Ilton foi determinante para que o presidente do INSS pudesse prosseguir com a contratação da RSX à revelia dos pareceres da área técnica.

— O presidente do INSS não só ignorou os pareceres técnicos, como nomeou alguém para viabilizar a contratação — diz outro servidor do INSS que pede sigilo ao seu nome, para não sofrer retaliações.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Como dizia Tom Jobim, é a lama, é a lama. E um governo dessa laia ainda exige reforma da Previdência... (C.N.)

11 thoughts on “Direção do INSS atestou “serviços” e liberou R$ 4,6 milhões à empresa-fantasma

    • Verdadeira poluição do Blog – Já deu seu recado pela enésima oportunidade e sempre fora do contexto da postagem. Desative este robô, por favor.

    • Joca,
      perfeitamente!
      você se antecipou ao meu comentário!
      PRISÃO sem a tal da progressão e máxima.
      DEVOLUÇÃO integral do ROUBO com juros e correção.
      O assunto ESTÁ no Domínio Público.

  1. “E um governo dessa laia ainda exige reforma da Previdência…”. Estamos falando que eles não conseguiram meter a mão. Mexeram na estrutura trabalhista do país e encaramos um aumento do desemprego, bem o contrário que alardearam. NÃO CULPO O GOVERNO TEMER. Temer não é culpado de ter permanecido presidente da República, mesmo pesando contra ele tão graves denuncias, mesmo tendo o sido braço direito no governo Dilma. Não se pode culpar Temer depois de ser desmascarado. FICOU porque deixaram que ficasse. Deixamos, para ser mais exato. Este Congre$$o, para ser mais exato, a parcela da população que se acha mais nobre que a nobreza também, os movimentos hipócritas de rua, todos na folha de Temer e por último e não menos importante, o STF. Tudo bem, acatou a denuncia e mandou para o Congresso, mas sabendo que em nome dos interesses estritos da nação o Congresso JAMAIS poderia permitir que alguém tão incriminado como Temer continuasse presidente da República e teria que atuar COMO MODERADOR LEGAL. Como já fez na prisão em segunda instância, TAMBÉM PELO ESTRITO INTERESSE E MANUTENÇÃO DA REPÚBLICA. Já que a canalha no Congresso não permite a evolução legal do país.

    • O sr tem toda razão. Foi ali, na manobra para manter o vampirão no poder, que Gilmar Mendes estreou sua coleção criminosa de ações para mostrar ser poderoso. Se tivéssemos gritado contra aquela falcatrua feita no TSE – e tínhamos o min Benjamin no apoio – essa quadrilha não estaria ali, sem dúvida ainda “desviando” muito dinheiro. É o que essa laia mais faz.

  2. É como escreveu Bernardo de Melo Franco em sua coluna de hoje:

    “QUEM NÃO COMBATE O ROUBO NÃO PODE QUERER COMBATER O ROMBO DA PREVIDÊNCIA.”

  3. Prisão domiciliar para ficar mais barato.
    Devolução de todo o $ desviado, com juros, correção e multa. Alienando todo o patrimônio do “dito cujo” ou de parentes e “laranjas próximos”.
    Sei que isto é uma utopia.

  4. Vão punir os caras, pedagogicamente, para ter efeito preventivo? Só vai funcionar se feito de forma rápida e inteligente. Muito pesada, aliviando-se conforme haja colaboração e devolução total dos recursos envolvidos, até o julgamento.

  5. -País de bandidos!
    -Para você conseguir 10 mil emprestado ou dinheiro para financiar um imóvel, te pedem até certidão dos mortos.
    -Agora, os bandidos conseguem bilhões sem nem precisarem nem ir ao cartório!

    Nesta fazenda, as leis foram feitas para os cidadãos. Os bandidos são dispensados de cumpri-las!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *