Eleito deputado, general defende impeachment e prisão de ministros do STF

Resultado de imagem para general eliéser girão monteiro filho

General deputado cita Gilmar Mendes como exemplo

Marcelo Godoy
Estado

O general Eliéser Girão Monteiro Filho, deputado eleito pelo PSL no Rio Grande do Norte, defendeu o impeachment e a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) responsáveis pela libertação de políticos acusados de corrupção, como o ex-deputado José Dirceu (PT) e os ex-governadores do Paraná Beto Richa (PSDB) e de Goiás Marconi Perillo (PSDB). Segundo ele, “o impeachment de vários ministros” se insere em um “plano de moralização das instituições da República”.

“Não tem negociação com quem se vendeu para o mecanismo”, escreveu em sua conta no Twitter, em referência à série da Netflix sobre a Lava Jato. “Destituição e prisão”, completou.

É ISSO MESMO – Ao ser questionado pelo Estadão, o general ratificou o disse: “É isso. O Senado tem de cumprir o papel dele.” O impeachment de ministros do Supremo deve ser votado pelo Senado e aprovado por dois terços da Casa. Ele é possível em caso de crime de responsabilidade, como proferir julgamento quando suspeito na causa ou exercer atividade político-partidária.

Girão é um dos dois generais eleitos para a Câmara pelo PSL de Jair Bolsonaro. Teve 86 mil votos no Rio Grande do Norte. É da turma de 1976 (Tuma 31 de Março) da Academia Militar das Agulhas Negras e é próximo ao general Augusto Heleno Pereira. Girão passou para a reserva em 2009 em protesto à retirada de fazendeiros da área da reserva indígena de Raposa Serra do Sol, em Roraima. O “Brasil é um país onde a lei tem de ser respeitada por todos. Só porque alguém é presidente, ele deve responder apenas quando deixa a Presidência?”, questionou. Em seguida, disse que se referia ao presidente Michel Temer.

GILMAR MENDES – O militar citou ainda os casos dos ex-governadores tucanos soltos recentemente por decisão do ministro Gilmar Mendes (STF). “Aí o cara é solto pelo ministro do Supremo. E você sabe que não manda soltar por acaso”, disse. Ele defendeu ainda que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Lava Jato, seja retirado de sua cela na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, e enviado para um presídio comum.

Também defendeu classificar as invasões de terras e propriedades urbanas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra como crime de “terrorismo”. “O (João Pedro) Stédile (líder do MST) foi recebido por Lula no Planalto e advogou a desobediência civil. Se eu estivesse lá, dava voz de prisão para esse cara.” O general disse que o País precisa voltar a ser uma “democracia plena, com a independência dos poderes para que as leis sejam cumpridas”. Para ele, a moralização deve “começar pelo Congresso”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGO general-deputado tem toda razão. É intolerável, inexplicável e insuportável a presença de “juristas” como Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli. Estes três, pelo menos, deveriam sofrer impeachment e serem trancafiados junto com os criminosos que soltaram ilegalmente. (C.N.)

30 thoughts on “Eleito deputado, general defende impeachment e prisão de ministros do STF

    • Muamar Kadafi, o ex-ditador que doou para a campanha petralha com provas robustas fornecidas por Antonio Palocci.

      Dever-se-ia escrever um artigo sobre a obrigatoriedade da justiça em cassar o Partido dos Trambiques imediatamente !!!

    • Parabéns ao General, o comportamento de alguns ministros do STF, prejudica o país com decisões, fazendo com que se perca a oportunidade de passar o País a limpo, deixando em liberdade a escória de políticos que prejudicam o desenvolvimento do país.

  1. Não vão faltar os críticos contra o deputado-general por essas declarações.

    Começarão dizendo:
    – Tá vendo, a ditadura começou!

    No entanto, o que o parlamentar disse tem plena razão.
    Ou enquadramos o STF dentro da Constituição, pois a Alta Corte atua fora dela ou, então, continuaremos a assistir esse festival de libertação de presos de alta periculosidade para o povo e país!

    Suas Excelências têm limites em suas atuações como magistrados, consequentemente, as demonstrações de poder que tivemos e o comprometimento político explícito como tônica de três ministros já citados, precisam ter um fim!

    Aliás, Bolsonaro deve acabar com esse processo de escolha dos ministros dos tribunais superiores.

    Que haja um Plano de Carreira somente para juízes concursados e, conforme seus desempenhos, vão sendo designados para os tribunais estaduais até os superiores, culminando com o STF.

        • Claro que você não disse bobagens, na verdade, você nunca fala bobagens. Só discordei do ponto, porque é o Senado que tem o poder para cassar os Juízes do STF.

          • Está dizendo bobagens, sim!
            O presidente não tem a prerrogativa para “entrar com projetos”.
            Entrar com projetos é prerrogativa de deputados e senadores.
            O presidente só pode assinar Medidas Provisórias,a serem referendadas pelos deputados e senadores,mas esse caso não é para medidas provisórias.
            A cassação de qualquer juiz do Supremo é feita pelo Senado,atendendo a pedidos de deputados e/ou senadores.
            Existem pelo menos uns oito ou nove pedidos de afastamentos de juizes,ajuizados na presidência do senado mas o Eunício não leva adiante nenhum.
            Sentou em cima!!!

          • O célebre ditado popular que diz:
            “O apressado como cru”, mais uma vez se comprova.

            Em nenhum momento do meu comentário, acima, toquei na questão de se cassar ministros do STF ou que Bolsonaro deveria agir dessa maneira.

            Apenas registrei sobre a mudança do processo de escolha dos ministros, que deveria ser através de um Plano de Carreira!

    • Bendl, assino, o STF a muito está stf, esses 3, se o Brasil fosse sério, estariam na cadeia, por estupro e vilipendio da Srª Justiça, os chamados tribunais superiores, a maioria não merece crédito da Cidadania Consciente

  2. Eu ia esquecendo …

    DEVE TERMINAR com a escolha de parlamentares para os Tribunais de Contas do Brasil e dos Estados!!!

    Trata-se de uma ignomínia, de um deboche ao povo, de sarcasmo com a sociedade!

    Os tribunais de contas deverão ter como conselheiros técnicos obtidos do serviço público, assim como auditores e gerentes.

    Basta de canalhice e safadeza com políticos que recebem esses cargos como compensação, e que defenderão seus parceiros quando na apresentação de gastos nacionais e estaduais!

    Da mesma forma que o Judiciário, o Parlamento deve ter limites impostos pelo bem comum, INCLUSIVE E, PRINCIPALMENTE, o fim de eles mesmos decidirem sobre seus vencimentos!!!

    Que os Ministérios da Fazenda e Planejamento decidam se tem ou não dinheiro à disposição, no mínimo.

    • AO QUE EU SAIBA, NOS ESTADOS UNIDOS NÃO HÁ ESSES “TRIBUNAIS DE CONTAS”…
      as auditorias são feitas por auditores diferentes e independentes (5), como a Price&Waterhouse, e então cotejados os resultados
      Aqui se vive ainda nos bons tempos da República Velha, com suas “eleições” feitas a bico de pena…
      Os amigos do Rei dizendo que está tudo certo, que vivemos no melhor dos mundos, e a roubalheira campeando, o dinheiro sumindo pelo ralo

  3. Parabéns General, vamos desratizar o Estado Brasileiro. Estamos num mar de lamas e que necessitam de uma limpeza ética profunda e rápida.
    O Povo ficará orgulhoso desta sua medida e somente os bandidos irão reclamar.

  4. Parece que esse vai ser o tom do novo governo e também do Congresso.

    Pena que o judiciário e MP continuem, salvo as conhecidas exceções, funcionando em câmera lenta e aparelhado pelo esquerdismo acadêmico.

  5. Os BANDIDOS do Poderes Legislativo e Executivo os cidadãos-eleitores podem trocar. E trocaram parte deles.
    Mas os bandidos do PODER JUDICIÁRIO, nomeados pelos bandidos dos outros dois poderes, se mantêm todos inalcançáveis pelos cidadãos e pelas leis!

    -Sera que este país nunca deixará de ser um PAÍS SAFADO?

  6. Só compete ao Senado realizar os desejos do general e de grande parte do povo. Diga-se de passagem, os 85% de renovação entre os 54 eleitos sinalizam uma boa possibilidade disso se concretizar, não pela renovação, pura e simples, mas pelas tendências políticas dos senadores eleitos.

    Uma outra coisa: já está mais do que na hora de se corrigir a Constituição nesse aspecto. É inconcebível que o Senado julgue o STF e que o STF julgue o Senado. Dá no que tem dado: uma inconcebível troca de “gentilezas”.

  7. Parabéns General, esse Ministro do STF debocha de todos os brasileiros. Porém não é somente ele porque os demais são COVARDES (a exceção do Ministro Barroso) porque com seu silêncio APROVAM AS ATROCIDADES FEITAS PELO MINISTRECO. Bolsonaro tem que fazer algo, porque senão para que servem todos o juízes e a máquina judicial se o Ministro “boca de sapo” será o liberador de seus amigos e os bandidos poderosos.

  8. Seguramente chegou a hora de cassar alguns ministros do STF, que se mostraram descaradamente coniventes com seus antigos patrões que hoje estão envolvidos até o último fio de cabelo com o crime como por exemplo o zé dirceu.

  9. Caro Francisco Bendl,

    Impressiona-me terem te acusado, injustamente, nesses comentários, às 7:13pm, de estar dizendo bobagens. Saiba que você está certo, sim.

    Bobagem é o que está no comentário às 7:13pm, em que aquele que te critica afirma: “Está dizendo bobagens, sim! O presidente não tem a prerrogativa para “entrar com projetos”.

    Ora, o presidente da República pode apresentar, sim, projetos ao Poder Legislativo, sejam projetos de emendas à Constituição, de leis complementares, de leis ordinárias ou medidas provisórias. É assim que está na Constituição:

    Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta:
    I – de um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal;
    II – do Presidente da República;

    Art. 61. A iniciativa das leis complementares e ordinárias cabe a qualquer membro ou Comissão da Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do Congresso Nacional, ao Presidente da República, ao Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais Superiores, ao Procurador-Geral da República e aos cidadãos, na forma e nos casos previstos nesta Constituição.

    Art. 62. Em caso de relevância e urgência, o Presidente da República poderá adotar medidas provisórias, com força de lei, devendo submetê-las de imediato ao Congresso Nacional.

    • Zorro, meu caro,

      Muito obrigado pela tua intervenção esclarecedora.

      Eu estava dialogando com Guimarães, e lhe perguntei se o Bolsonaro não poderia entrar com um projeto que decidisse mudança na forma como hoje os ministros dos tribunais superiores são escolhidos.

      Houve, então, a participação de um comentarista que afirmou eu estar dizendo bobagens mas, no seu ato de me corrigir, aproveitando as minhas palavras, também não entendeu as minhas colocações, que não eram referentes à cassação de ministros, mas o modo de serem conduzidos aos tribunais superiores.

      Nada como ter colegas e amigos que conhecem a Legislação, e suas participações oportunas e adequadas, desfazendo toda e qualquer dúvida existente.

      Um forte abraço, meu guri, desse Tonto teu amigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *