Empate com a Suíça aumenta o atual jejum de vitórias no Brasil nas Copas

Resultado de imagem para brasil 1 Suiça I

Gabriel de Jesus sofreu pênalti, mas o juiz não marcou

Deu em O Globo

Com o empate em 1 a 1 contra a Suíça, na estreia da Copa de 2018, o Brasil chegou ao seu terceiro jogo seguido sem vitórias em copas. A sequência de jejum só é superada pelo período entre 1974 e 1978, quando a seca foi de quatro partidas. Se o time de Tite não bater a Costa Rica, na próxima sexta (22), o recorde negativo será igualado.

O jejum atual tem requintes de crueldade, pois foi iniciado pela goleada de 7 a 1 aplicada contra a Alemanha. Na disputa de terceiro lugar, outra derrota acachapante, dessa vez por 3 a 0 contra a Holanda. Agora, um empate contra a Suíça. A sequência antiga tem a derrota para a Holanda por 2 a 0 e para Polônia por 1 a 0, na Copa de 1974. No início da Copa de 1978, foram dois empates: 1 a 1 contra Suécia e 0 a 0 com a Espanha.

O lado bom é que agora a seleção brasileira vai enfrentar a Costa Rica, teoricamente o time mais fraco do grupo. E o retrospecto também joga a favor do Brasil. Além da Costa Rica ser um habitual freguês, o Brasil nunca foi eliminado nesse sistema atual de fase de grupos.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGFalta um maestro que comande o time dentro de campo, porque é um time sem lideranças. (C.N.)

16 thoughts on “Empate com a Suíça aumenta o atual jejum de vitórias no Brasil nas Copas

  1. Em 1966 o time da CBF(Casa Bandida do Futebol) foi eliminada na fase de grupos.
    Ganhou da Bulgária por 2X0,na última vez que Pelé e Garrincha jogaram juntos e perdeu para Hungria e Portugal,ambas as derrotas por 3X1.
    A verdade é que na época eram 16 seleções jogando(4 grupos de 4) e hoje são 32(8 grupos de 4) mas o sistema era o mesmo.

    • Cruzes, que é isso? Tite, asqueroso? É um gentleman. E que infecções teria o goleiro Alisson? Os atletas têm de ter saúde perfeita, para entrar em campo.

      • Antes de ser convidado para técnico o Tite tinha assinado um manifesto contra a corrupção da cúpula do futebol brasileiro.
        Logo depois aceitou o convite dessa mesma cúpula corrupta desdizendo tudo que tinha assinado.
        É ou não é asqueroso?
        E ele não é um gentleman.Ele é um asqueroso “políticamente correto” e conivente com a corrupção da cúpula da CBF,com a qual convive no dia a dia.

  2. O Brasil jogou com uma seleção que vem crescendo ao longo do tempo.

    Não foi, portanto, um grupo de jogadores que jogamos contra, mas um time bem treinado e formado.

    Não podemos deixar de lado que, se o gol da Suíça poderia ter sido irregular pelo empurrão em Miranda, o pênalti em Gabriel Jesus foi escandaloso!

    Poderíamos ter vencido a Suíça, se não fosse também a excessiva carga de expectativa sobre a seleção, que vem bem nas mãos de Tite, entrando em campo como favorita absoluta neste jogo.

    Não deu.

    Pior foi a Alemanha, que perdeu para o México, com este time correndo como ninguém!

    Foi bom o empate porque alerta cedo sobre os jogos que virão, recaindo sobre o tal quadrado mágico do Brasil uma certa dúvida quanto à sua eficiência em partidas onde o adversário joga na defensiva, saindo para os contra-ataques tão somente.

    Faltou o homem de área, a referência, logo, Firmino deveria sair jogando.

    • Bendl, nos bons tempos da rádio Guaíba aprendi uma coisa, zagueiro marca o atacante por trás, exatamente para deslocá-lo quando da bola aérea. No domingo vimos o zagueiro sendo deslocado, coisa de time de várzea. E, enquanto esperarem que o Neymar resolva o jogo, vamos ficar nos empates. Neymar é muito bom no drible e na firula, mas joga para ele mesmo, e o Brasil precisa de um maestro.

      • E bola na pequena área é do goleiro. Haviam 8 jogadores (incluindo o goleiro) em torno do suíço, a foto do lance é clara. E todos ficaram olhando a bola. Erro infantil. Estranho é ninguém criticar o posicionamento do Alisson. A falha não foi só do Miranda, foi coletiva.

      • Paulo2,

        Concordo contigo, inclusive acho até que Alisson deveria ter saído na bola, pois cruzada na pequena área, vinda do escanteio.

        Agora, tá muito longe de se fazer terra arrasada.

        Temos chances de recuperação e de sair em primeiro lugar neste grupo.

        Quanto à falta de líder em campo e fora, trata-se de um ponto discutível.

        Lembro que o time é homogêneo, não há mais aquele jogador que se sobressaía dos demais pela entrega ao time, ao conjunto.

        Dunga foi o último grande líder em campo, apesar de não se comparar na técnica com Romário, Bebeto, e outros craques que tínhamos no Tetra.

        Quando Felipão ganhou o Penta, também a seleção não tinha em campo um jogador que se destacasse.
        Mesmo com Cafu exercendo a função de capitão, ele não tinha a mesma ascendência sobre seus colegas em campo porque houve uma plena entrega de todos, como se percebe hoje, onde todos estão no mesmo nível.

        E discordo de forma absoluta que Tite não é este líder fora do campo, por favor!

        Basta entrevistar qualquer jogador para se constatar o quanto admiram e respeitam o técnico.

        Lembro que estamos jogando contra seleções de outros países, onze homens que defenderão o seu time com garra, vontade e determinação, e não onze jogadores comuns, mas os melhores.

        Abração.

  3. CN. Há muito baixou o nível. Nem sempre a leniência é ferramenta adequada. Observe que estamos carentes dos notórios comentaristas que aqui frequentavam com equilíbrio, respeito e sabedoria.

  4. Sei não. Acho tudo tsto um plano pre-fabricado. Quando o Brasil tinha atacantes de altura média e muito técnicos,, ganhavamos pela habilidade e criatividade. Hoje só temos galalaus acima de 1,80m dando porrada a torto e a direito. Entram em campo, com esquemas super defensivos, tocando a bola de um lado para outro sem objetividade nenhuma. (O América teve um time assim na decada de 60. Seu futebol foi apelidado de TICO-TICO NO FUBÁ.) O gol, na maioria das vezes só sai no acaso ou erro do adversário.

    Quando o Brasil jogava, as ruas em todo o país se enchiam de verde-amarelo e estava sendo criado um sentido de brasilidade e nacionalismo na população. Este sentimento tem que ser destruido para que nossos recursos minerais sejam roubados impunimente. E bom lembrar que todo o manganês da Serra do Navio, foi transferido para os USA em menos de 60 anos.

    O brasileiro briga pelos seus clubes de futebol mas não briga pelo seu país

  5. CBF(MÁFIA) resolveu protestar formalmente o sistema de arbitragem eletrônico que não funcionou no lance do Miranda e no lance do Gabriel….
    A FIFA (MÁFIA) respondeu que foram lances normais: não houve falta, não houve pênalti…
    MÁFIA casa de apostas MÁFIA apostadores por trás da cortina MÁFIA futebol mercantilista MÁFIA
    MÁFIA árbitro de vídeo MÁFIA, MÁFIA MÁFIA!

  6. Gostei muito do cabelo loiro do Neymar: uma gracinha. O resto foi uma droga – o que é lugar comum nesse gigante pela própria natureza.

  7. Esse é o verdadeiro país do futebol:

    OUTRAS SELEÇÕES
    Só dá Copa do Mundo na TV islandesa

    Segundo informação do canal islandês RÚV compartilhada pelo Twitter da seleção, 99,6% dos islandeses que estavam com suas TVs ligadas durante o jogo contra a Argentina estavam assistindo à partida. Somente 0,4% não estavam vendo a partida, que terminou empatada em 1 a 1.

    Autor do gol que deu aos islandeses o primeiro ponto deles em Copas do Mundo, Alfred Finnbogason aproveitou o dado informado pela TV local para brincar: “Os outros 0,4% estavam em campo!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *