Operador de Cabral entregava propinas para Lupi, Minc e Marilene Ramos

Miranda chegou a distribuir propina até de helicóptero

 


Deu em O Globo

Apontado pela Justiça como operador do esquema financeiro chefiado pelo ex-governador Sérgio Cabral, Carlos Miranda afirmou em delação que usou até helicóptero para transportar propina. De acordo com trechos da delação, divulgados nesta terça-feira pelo Jornal Nacional da TV Globo, Miranda diz que em 2012 recebeu a ordem, de Wilson Carlos, então secretário de governo na gestão de Cabral, para fazer pagamentos mensais de R$ 100 mil ao PDT por meio de Carlos Lupi, presidente nacional do partido desde 2004.

Carlos Miranda disse que pagava para uma pessoa conhecida como “Senhor Loureiro”, que seria tesoureiro do PDT, e que as entregas eram feitas na sede do partido pelos funcionários do doleiro Renato Chebar. Os pagamentos teriam sido feitos de 2012 até março de 2014. À TV Globo, Carlos Lupi e o PDT afirmaram que nunca tiveram nenhum tipo de relação com o delator e que jamais receberam qualquer tipo de vantagem.

DE HELICÓPTERO – O operador contou, anteriormente, que o esquema chefiado por Cabral movimentou R$ 500 milhões de reais e, com quantias tão altas e os interessados com tanta pressa, ele não podia perder tempo. Miranda afirmou, em outro trecho da delação, que para recolher R$ 400 mil numa empresa no interior do estado chegou a alugar um helicóptero. O transporte aéreo aconteceu na campanha eleitoral de 2010, e o dinheiro vinha de propina na área da saúde.

Segundo Carlos Miranda contou aos procuradores, o homem por trás do dinheiro seria Ronald de Carvalho, empresário e amigo do governador Luiz Fernando Pezão, que na época era vice-governador. Ronald de Carvalho é dono da Metulúrgica Valença, que teve contratos milionários com o governo do Rio para construir com contêineres das UPAS. O TCU já apontou irregularidades nesses contratos

MEIO AMBIENTE – Carlos Miranda também disse que houve pagamento de propina na Secretaria de Meio Ambiente no primeiro mandato de Sérgio Cabral, entre 2007 e 2010. É a primeira vez que nomes da secretaria aparecem nas investigações. O delator afirma que construtora Queiroz Galvão pagou 300 mil reais à ex-presdiente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, e a Carlos Minc, então secretario de Meio Ambiente de Cabral, que era do PT.

Carlos Minc hoje é deputado estadual pelo PSB. Ele afirmou que recebeu uma única doação de campanha da Queiroz Galvão, por intermédio do PT, e que a declarou na prestação de contas. A ex-presidente do Inea, Marilene Ramos negou que tenha recebido os valores e que conheça Carlos Miranda. A Queiroz Galvão e a defesa do empresário Ronald de Carvalho não quiseram comentar.

Na delação, que foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal, Carlos Miranda envolve também o ex-secretário dos governos Cabral e Pezão, Sérgio Ruy Barbosa, que teria montado um esquema de pagamentos de propina.

10 thoughts on “Operador de Cabral entregava propinas para Lupi, Minc e Marilene Ramos

  1. Piada, o juiz Marcelo Bretas ainda perguntou a Sérgio Cabral se ele pensava restituir o governo do estado, que pergunta é esta, deveria dizer que ele tem que restituir o governo do estado do Rio de Janeiro, ainda mais que o valor desviado era de R$ 500 milhões e Sérgio Cabral disse que recebeu R$20 milhões, como pode restituir toda esta grana, que poder judiciário nós temos.

  2. Tenho a honra de poder estar ao lado de Carlos Lupi, meu amigo e presidente nacional do PDT, na luta por um Brasil mais justo”.

    Ciro Gomes droguinha e Lupi de mãos dadas em prol do crime.

    Ciro o preparado para reunir a corja novamente.

  3. Como é essa conversa aí? Minc não era aquele ecologicamente impecável que queria reflorestar o deserto de Saara e despoluir o Oceano Atlântico? Como pode um homem, com um ideal colossal, em prol da humanidade, deixar-se comprar por R$ 0,10?

    • No Brasil, não parece sensato rotular um segmento específico: a ocasião faz o ladrão. E mesmo, silenciosamente, o bandido recebe o amém da grande parcela da população. Que o consagra de inteligente, esperto, o cara que vai à luta, que sabe viver, que corre atrás….
      O bacana, o qual papai e mamãe jamais enxotam do terraço, porque está traçando a filhinha do coração.

  4. Minc,o deputado que criou a lei,que proibia os supermercados de usar sacolas plásticas.
    Fez essa lei acobertado por Sergio Ladrão Cabral,apenas com o intuito de achacarem supermercados.
    Ladrão metido a honesto.
    Não existe um único comunista que não seja ladrão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *