PF investiga empreiteiras usadas para desviar recurso no governo de Aécio

Resultado de imagem para aecio neves

A propina para Aécio era de 3%, segundo o delator

Deu no Jornal Nacional

A Polícia Federal investiga a suspeita de que duas empresas tenham sido usadas para desviar recursos da construção da Cidade Administrativa em Belo Horizonte para campanhas do então governador Aécio Neves (PSDB). A sede do governo de Minas Gerais foi construída de 2008 a 2010 durante o governo do tucano. Ela foi orçada em R$ 900 milhões. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) afirmou que a obra passou de R$ 1,8 bilhão.

Em delação premiada, no fim de 2016, o ex-diretor superintendente da construtora Odebrecht em Minas Gerais Sérgio Neves denunciou um suposto esquema de desvio dinheiro.

PROPINA DE 3% – Segundo o delator, o então presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais, Oswaldo Borges, determinou que 3% de um contrato com as empresas Odebrecht, Queiroz Galvão e a OAS iriam para Aécio Neves para futuras campanhas políticas. O contrato era de R$ 360 milhões.

A Polícia Federal investiga a denúncia de que o desvio de dinheiro ocorreu por meio de fraudes, durante a construção da Cidade Administrativa. Oswaldo Borges é apontado como operador de Aécio Neves neste caso. Ele é acusado pelo ex-executivo da Odebrecht de intermediar o esquema antes mesmo da licitação.

“Ele determinou que adicionalmente nós deveríamos contemplar duas empresas locais”, disse Sérgio Neves na delação.

SUBCONTRATADAS – As duas empresas seriam a Cowan e a Alicerce. O delator disse que elas foram subcontratadas, mas para não fazer nada. “Custou R$ 5 milhões no contrato. Fizemos um contrato para a prestação de serviço de R$ 5 milhões fictícios. (…) Fictícios, sem a prestação de serviço com a Cowan e R$ 2,6 milhões com a Alicerce, um contrato de consultoria sem a prestação de serviços”, disse Sérgio Neves.

Representantes das duas empresas prestaram depoimento à Polícia Federal no ano passado. Eles negaram que os contratos tenham sido fictícios e apresentaram documentos e notas fiscais que comprovariam os pagamentos.

Em uma nota fiscal da Cowan de R$ 4,6 milhões, por exemplo, estão relacionados vários equipamentos, como guindastes e caminhão betoneira, que teriam sido locados para o consórcio. Um documento da Alicerce, no valor R$ 608 mil, se refere a prestação de serviços de consultoria.

CONFIRMAÇÃO – Mas o depoimento de outro executivo da Odebrecht, Carlos Berardo Zaeyen, que era o responsável pelos contratos do consórcio, contradiz a Cowan e a Alicerce.

Ele disse à Polícia Federal que não tem conhecimento de prestação de serviços da Alicerce e nem da utilização de equipamentos da Cowan na Cidade Administrativa.

A Polícia Federal investiga a suspeita de que as notas fiscais apresentadas sejam frias. Por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), o inquérito agora está na Justiça de Minas Gerais.

8 thoughts on “PF investiga empreiteiras usadas para desviar recurso no governo de Aécio

    • Alex
      Cada um é o que quer ser. Valores cada um carrega os seus. Te respeito como pessoa, mesmo não te conhecendo. Não concordo com tuas posições, mas também, quantos não concordam com as minhas!

      Quando Luxemburgo, é piada! Sabe de futebol mas de política, “tá danado”.
      “É a favor da intervenção federal no Rio?

      Veja o que disse sobre intervenção no Rio – Ela é militar (risos), só mudaram o nome. Daqui a pouco, o Exército vai tomar conta do país de novo. Será que isso não é uma cortina de fumaça? Sou totalmente contra.”
      Perguntaria a ele: e você faria o que?

      Vamos em frente.
      Abraço e saúde,
      Fallavena

  1. Uma simples constatação:
    ao sair uma matéria indicando irregularidades do Aécio não aparece nenhum post defendendo-o ou desviando o assunto para outros campos.

    Mas temos já tres post condenatórios dos Catões Brasileiros de sempre.

    Se a matéria fosse sobre algum petista teríamos certamente os que fariam a condenação mas , como sempre, mas….surpreendentemente teríamos um monte de post agressivos, endereçados aos que estariam condenando ou então indicando irregularidades de Aecio ou do Mdb ou do PSDB etc.
    Por que será????

  2. Sem falar que o dinheiro do “empréstimo” (propina) da JBS, aquele do “alguém que a gente mata antes dele delatar”, ou parte dele foi parar nas mãos do dono do helicóptero pego pela PF com maia tonelada de cocaína, é mole. Por isso que Lula tem tanto defensor. Vão atrás de um pedalinho do sítio enquanto rolam soltos os envolvidos em comprovados desvios em outras obras, como além d Centro Administrativo, de MG, o Rodoanel e o Metrô, em SP, em que empresas envolvidas confessam e fazem acordos na Justiça, ou como os escândalos de Richa, no Paraná, para não voltarmos ao absurdo e monstruoso desvio do Banestado (US 30 BIlhões), ou o TRT-SP, nas mãos do FHC. A lista seria grande.

  3. Continua livre, leve e solto, esta é nossa justiça seletiva, o sujeito foi pego em gravação, mas mesmo assim continua senador, que justiça é esta deste país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *