Prêmio é reconhecimento a todos os que combatem a corrupção, diz Moro

Resultado de imagem para moro premiado em ny

Pedro Parente foi cumprimentar Moro e Rosângela

Henrique Gomes Batista
O Globo

Na primeira vez que um juiz recebe o prêmio de “personalidade do ano” da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, o juiz Sergio Moro, responsável pela Lava-Jato na 13ª Vara federal de Curitiba, afirmou que a operação é uma prova do vigor da democracia. Em um discurso de 19 minutos no Museu da História Natural de Nova York, Moro afirmou que sua premiação legitima a luta contra a corrupção no Brasil:

— Este prêmio também significa que o setor privado no Brasil e nos Estados Unidos apoia o movimento anticorrupção brasileiro e isso faz grande diferença — disse Moro, que foi ovacionado várias vezes e, quando subia ao palco, ouviu de ao menos um entre os mil presentes no jantar de Gala o grito de “Moro presidente!”.

RECONHECIMENTO – Moro disse ainda que aceitou a premiação por ser um reconhecimento de todos que trabalham contra a corrupção no Brasil, como outros juízes, promotores e policiais. Ele disse que, ao contrário do que parece, saber e enfrentar todos estes casos não significa um motivo de vergonha, mas de força da democracia brasileira.

— A democracia não está em risco no Brasil. Há riscos de retrocesso, mas não acredito que eles ocorrerão. Os Estados Unidos podem apostar no Brasil como nós apostamos — disse.

A 48ª Premiação da Câmara de Comércio também homenageou o empresário e ex-prefeito nova-iorquino Michael Bloomberg, que recebeu seu prêmio mais cedo e não ficou para ouvir o juiz. Moro disse que com este combate à corrupção mais investimentos podem ir ao Brasil e disse que o país está no “caminho correto”.

EM PORTUGUÊS – No fim de sua fala, desta vez em português, Moro enviou uma “mensagem aos companheiros brasileiros”, dizendo que o país vive 30 anos de democracia e liberdade, com dois impeachment e um ex-presidente preso, mas sem “risco de ruptura”. Ele disse que o país já conquistou muito, como o fim da hiperinflação e criou políticas sociais que diminuíram a pobreza e a desigualdade:

— Há muito a ser feito: continuar as reformas, consolidar a democracia, retomar o desenvolvimento, melhorar a qualidade dos servido públicos de segurança, educação e saúde e enfrentar a pobreza e a desigualdade. Tudo isso só é possível sem a impunidade da grande corrupção – disse ele.

HERÓI NACIONAL – Moro foi apresentado na premiação pelo vencedor do ano anterior: João Doria, ex-prefeito e pré-candidato tucano ao governo de São Paulo. O político apresentou Moro como um “herói nacional”, pediu “salvas de palmas de todos em pé” e disse que este é o “Brasil dos homens de bem”, criticando os que protestaram contra Moro no lado de fora do museu.

O público presente, formado por empresários, advogados, autoridades (o ministro Carlos Marun, da secretaria de governo de Michael Temer, por exemplo) e alguns acadêmicos dos dois países – cada um pagando ao menos US$ 1.200 por uma cadeira ou receberam esta possibilidade dos patrocinadores do evento – reagiu com euforia à premiação de Moro: além das palmas, muitos gravaram todo o discurso do juiz.

BEM DIFERENTE – O próprio evento estava diferente, segundo pessoas que participam da cerimônia há anos: a cerimônia começou pela primeira vez com a execução dos hinos dos dois países e o presidente da Câmara, Alexandre Bettamio, chegou a dizer em seu discurso frases típicas de Trump, ao defender que todos trabalhem para colocar “o Brasil em primeiro lugar”.

Nesta quinta-feira, Moro participa também em Nova York de um evento do Lide – empresa de João Doria – sobre investimentos no Brasil. Ele falará sobre a segurança jurídica no país e será sucedido em uma palestra por Marun.

17 thoughts on “Prêmio é reconhecimento a todos os que combatem a corrupção, diz Moro

  1. NOVA YORK – O juiz federal Sérgio Moro afirmou que não existe risco à democracia no Brasil, pois as instituições estão fortes. Ele destacou que é natural haver incertezas em um ano eleitoral.

    “As instituições estão operando, e políticos foram responsabilizados por crimes cometidos”, destacou. Ele ressaltou que empresários no Brasil também buscaram o ganho fácil com operações envolvendo corrupção.

  2. Super população ???

    Rio de Janeiro

    Há uma semana presídio oficial da Operação Lava Jato no Rio, Bangu 8 tem sido alvo de queixas de réus e advogados. Há relatos sobre presença de insetos e ratos nas celas, além da precária estrutura do local.

      • Por isso que acho que as instituições, apesar dos problemas, nunca funcionaram tão bem.
        Desde moleque eu escutava sobre as contas do Baulo Balim Baluf na Suíça. Comecou a carreira lá atrás, como o Sarney.

        • Também acho, já foi muito pior, mas ainda é uma vergonha,vide o beiçola,rsrs.
          O Baluf tem uma fortuna lá fora e era procurado pela interpol, não sei se ainda é,sabe me dizer?
          Estes dois que vc citou são ratazanas velhas e gordas, tem queijo para dar e vender…

    • Piolhos, carrapatos, pulgas e ratos, estão juntos aos seus….os vermes imundos que detonaram o Rio e o Brasil.Que morram !!

        • Nossa, é a capital mais fria do país, para mim é a pior cidade do Brasil, sem comentários, mas o frio deixa prá lá, ele já ganhou um frigobar, deve estar cheio de cana etc….Quando chegar julho duvido que aguente, mata rápido.

          • É Lulla na cabessa i Arco in mim in Curitiba !
            ” Adoro ” andar no tubo .rsrz.

Deixe uma resposta para Lossian Barbosa Bacelar Miranda Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *